Legenda no totem

Uma coisa que sempre me fez fugir do Totem(Reprodutor multimidia) foi a dificuldade em mudar o tamanho da fonte das legendas. Até hoje eu não tinha conseguido fazer isso.
Graças ao nosso amigo Licio Fernando agora isso é possível. Em um de seus post ele explica como fazer isto.
Agora não preciso mais apelar para o MPlayer para assistir filmes. Ainda prefiro o MPlayer mas a dica está dada.

Monitor CRT no Notebook Dell Latitude 120L

Post bem curto. Tinha esquecido de faze este teste com o notebook. Para quem tem esse tipo de preocupação pode ficar tranquilo. Pluguei meu monitor CRT na saída do notebook e utilizei as teclas Fn+CRT/LCD e funcionou normalmente.

Por favor. Muitos me comentam os post por icq, gtalk, msn, jabber, skype e assim por diante. Pesso que façam seus comentários aqui no blog. Isto me incentiva a continuar postando e já dá uma dica para os futuros usuários de que o que eu digo é verdade ou não.

Loucuras de amor

Escapando um pouco ao tema do blog, aí vai uma história que aconteceu comigo.

Talvez algumas pessoas ainda não saibam porque larguei o blog por alguns dias a uns meses atras. Para os que não sabem, depois de três anos e nove meses de namoro(chegamos a noivar) a pessoa que eu mais amava resolveu que não queria mais ficar comigo. Esta decisão parecia o fim da minha vida e nada eu podia fazer para evita-la.
Desde este dia, dois meses e meio se passaram. A depressão passou, os amigos voltaram. Tudo parecia estar voltando para o eixo normal da vida quando derrepente comecei a receber ligações e mensagens em meu celular. Estas ligações e mensagens eram justamente da minha ex-namorada. Ela foi morar em Balneário Camboriú e por algum motivo se arrependeu de ter me abandonado. Ela queria que eu fosse até ela para conversar, mas nunca respondeu a nenhuma carta que eu havia mandado e nem queria dizer o motivo da conversa, mesmo eu já imaginando.
Depois de muita insistência consegui saber o motivo da tal conversa. Ela queria pedir desculpas e ver se seria possível uma reconciliação.
Depois de muito tempo pensando sozinho, acabei tomando uma decisão considerada por alguns como louca.
Na sexta-feira, dia primeiro, saí do trabalho no horário de sempre e fui para casa. Em casa olhei para o armário e peguei algumas peças de roupa e soquei na minha mochila juntamente com o notebook. Fui para a URI sem saber ainda o que iria fazer, não sabia se ia fazer uma prova em que eu iria tirar zero ou se ia para a rodoviária. Quando cheguei na esquina que tinha que decidir entre a URI e a rodoviária, escolhi a rodoviária. Aí começava a loucura.
Chegando na rodoviária fui ao guichê da empresa que faz as viagens para Balneário Camboriú e perguntei os horários para lá. Tinha um ônibus que sairia as 20 horas mas já estava lotado e outro ônibus só no dia seguinte, isso estaria abortando a missão de viajar naquele final de semana. Já estava saindo da rodoviária quando o atendente me chamou dizendo que tinha um ônibus que sairia de Passo Fundo e tinha uma única poltrona livre(poltrona 17, vou passar a jogar este número na loteria) e o ônibus que saia de Erechim para Passo Fundo estava para sair. Tinha que pensar rápido e pensei. Mandei fazer a passagem para Balneário enquanto mandei fazer a passagem para Passo Fundo e avisei o motorista para esperar que a passagem estava sendo feita. Peguei as duas passagens e embarquei para Passo Fundo para pegar o outro ônibus, até o momento não fazia idéia do horário em que sairia o ônibus para Balneário. Quando cheguei em Passo Fundo, peguei a passagem para Balneário para ver os detalhes da passagem e posso dizer que fiquei assustado ao ver que o ônibus só sairia às 23:20. Foram três horas de espera andando pela rodoviária de um lado para o outro, até ajudei um senhor, com problemas de visão, a fazer uma ligação. Nada era capaz de tirar minha ansiedade e vontade de fazer aquela viagem. Quando estava embarcando no ônibus recebi uma mensagem da Marcela dizendo que ela tinha conseguido um emprego. Respondi a mensagem dizendo que eu estava saindo em dez minutos e que chegaria na casa dela no dia seguinte. Ela me mandou uma mensagem meio que não entendendo e eu logo respondi dizendo que já estava no ônibus, saindo de viagem.
A viagem não teve nenhuma surpresa. Tentei dormir a madrugada inteira sem sucesso. Tinha um maldito grupo de argentinos no ônibus e um deles roncava mais alto que qualquer caminhão. Para completar ele estava sentado ao me lado.
Chegando em Camboriú dei um toque na pessoa que eu pretendia ver(Marcela) e logo ela ligou para saber onde eu estava e também me passou novamente o endereço dela pra que eu pudesse chegar até o local final da viagem. Tentei ir a pé mas não encontrei uma lógica que pudesse me levar até a rua 1500. Voltei para a rodoviária para pegar um táxi que seria a maneira mais fácil e rápida de chegar até o destino.
Chegando ao destino, o encontro foi bastante amigável. Conversamos um pouco sobre nós, sobre ela e como estavam as coisas. Conversei com minha ex-sogra e ela me deixou um pouco confiante. Não vou contar mais detalhes sobre estas conversas por serem muito particulares.
Meu pai me ligou no mesmo dia para saber se eu iria voltar para o almoço, mal sabia ele que eu tinha me mandado para a praia. Falei para ele onde eu estava e que estava olhando para o mar.
O sábado foi assim, muita conversa, o que me trouxe muitos esclarecimentos e algumas novidades.
No domingo fomos para Florianópolis com os irmãos da Marcela e um amigo de um dos irmãos dela. Tentei ligar para meu amigo Andre mas o “maldito” deve ter deixado o celular desligado e só caia na secretária eletrônica. Ficamos na praia mole durante a tarde e foi muito interessante. Muitas fotos foram tiradas e mais coisas pude descobrir.
A viagem de volta deveria ter sido no domingo mas não tinha mais passagem para Erechim e tive que voltar somente na segunda-feira a noite. Aproveitei a segunda-feira para entregar alguns currículos por Itajaí e falei com algumas pessoas em Balneário. Tem uma galera tentando achar emprego para mim por lá.
O saldo desta história foi uma boa história para contar para os netos e pude reforçar um sentimento, continuo amando esta menina.
Fotos da viagem podem ser encontradas no meu flickr.