Minha experiência com o Feisty Fawn Beta

Olá! Meu nome é André Almeida, sou programador PHP e moro em Florianópolis e a convite do Ivan vou passar a escrever alguns posts aqui no Ubuntero. Espero que vocês gostem dos meus posts.

Me tornei um usuário e fã do Ubuntu a menos de um ano, porém uso o Linux a mais tempo. Já usei as distribuições Conectiva, RedHat, Fedora (4, 5, 6) e agora Ubuntu (Dapper e Edgy). No mundo dos blogs eu comecei em 2002 com o Na Boa!, depois em 2006 eu criei o meu blog pessoal o Mundo Andre e agora também vou passar a escrever no Ubuntero. ;-)

O meu primeiro post aqui vai ser sobre a minha experiência com o Feisty Fawn, codinome para a versão 7.04 do Ubuntu, que está agendada para ser lançada em 19 de abril.

Essa semana resolvi instalar a versão beta do Ubuntu a Feisty Fawn, a instalação é muito parecida com as versões anteriores do Ubuntu, a diferença que me chamou atenção foi na tela de escolher em que parte do disco será instalado o sistema operacional. Agora aparece uma opção para redimensionar uma partição existente e usar o espaço criado para instalar o Ubuntu, essa opção é útil para instalar o Ubuntu em computadores que já tenham outro sistema operacional instalado, pois é possível manter a instalação do mesmo e arrumar um espaçozinho para o Ubuntu.

Eu não pretendo fazer uma análise do Feisty Fawn, e sim falar da minha experiência com esta versão, infelizmente não foi das melhores.

Após a instalação a primeira coisa que fiz foi configurar a internet e fazer todas as atualizações disponíveis, tudo ocorreu normalmente. Após, resolvi fazer as configurações para compartilhar a internet com outro computador usando as duas placas de rede do meu computador, uma placa está ligada ao modem e a outra ao outro computador. Aí começaram os meus problemas, o Feisty tem uma nova ferramenta para a rede, esta maldita (para mim pelo menos), te permite selecionar qual rede você quer monitorar só que comigo ele só deixa ativa a rede selecionada. Ou seja, ou eu deixo ativo a conexão com o outro PC ou com o Modem.

O mais perto de uma solução que eu cheguei para conseguir deixar as duas conexões ativas foi tirar essa ferramenta da inicialização e alterar o arquivo interfaces botando a linha “auto eth0” para o fim do arquivo e para funcionar o compartilhamento da internet eu preciso dar um restart na rede toda vez que inicía o computador. =/

Outra novidade do Feisty Fawn é o “Desktop Effects” que vem pré instalado. A minha experiência com o Desktop Effects não foi das melhores também, quando ativei o efeitos fiquei muito satisfeito com o resultado, porém ao ativar o efeito de cubo e ver que nada aconteceu e ainda começaram a ocorrer diversos bugs fiquei meio chateado.

Por tudo isso, a hora que eu tiver um tempinho vou voltar para o Edgy.

Na minha opinião, o Ubuntu continua sendo uma distribuição maravilhosa, o Feisty Fawn tem tudo para ser uma ótima versão. Mas para o lançamento final deviam olhar mais para estas duas novas ferramentas: o Network Manager e o Desktop Effects.

Então é isso pessoal, esse é o meu primeiro post no Ubuntero. O que vocês acharam do meu primeiro post? É só deixar registrado aí nos comentários.

Flisol 2007

Para quem ainda não conhece, o Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre (FLISOL) acontece desde 2005 e envolve diversos países da América Latina. O Brasil participa desde a primeira edição.
Este ano, 17 países confirmaram presença, mais de 160 cidades, sendo 21 cidades brasileiras até o momento. Isto coloca o Brasil em quarto colocado no número de cidades. O objetivo é bater o recorde dos anos anteriores, tanto em participação de cidades quanto em instalação de máquinas e visitação de pessoas. O FLISOL2007 acontece no dia 28 de abril de 2007.
Temos pouco tempo mas temos algum tempo. O que me interessa agora é conseguir mais pessoas interessadas em trabalhar para que o FLISOL aconteça também em Erechim. Alguém se habilita a enfrentar essa comigo? Preciso de gente para coordenar e para ajudar nas instalações e principalmente de uma instituição de ensino ou empresa que ceda um local.
O evento é OBRIGATÓRIAMENTE gratuito.
Espero comentários e voluntários.

Nova vida

Estou entrando em uma nova fase na minha vida. No dia 16 de Março, saí da casa dos meus pais e estou morando com uma pessoa especial.
Depois de 4 anos juntos, algumas brigas e até uma separação temporária, eu e Marcela resolvemos juntar os trapos definitivamente. Algumas pessoas podem pensar que fiz tudo muito rápido mas posso garantir que pensei muito e conversei muito antes de tomar esta decisão.
Já estou de endereço novo e os amigos que quiserem fazer uma visita são muito bem vindos(o endereço é só perguntar). Ainda estou aceitando presentes :-P
A parte ruim de tudo isso é que o intervalo entre os posts será um pouco maior principalmente porque estou sem acesso a internet por tempo indeterminado. Logo que as finanças se normalizarem, voltarei a estar conectado sempre que acordado.

Dell e Ubuntu

Não sei quantas pessoas, que acessam este blog, tem ou gostariam de ter um computador Dell. Como eu tenho um notebook Dell, me interessei pela pesquisa que está sendo feita para escolher uma possível distribuição Linux para ser distribuida juntamente com estes computadores. Se eles já tivessem lançado computadores com Linux, eu teria economizado R$ 300,00 que me obrigaram a pagar pelo maldito Microsoft Windows XP Home Edition e poderia ter investido em um disco maior ou em mais memória.
Outra notícia divulgada no br-linux.org também me deixou muito contente. Vendo a concorrente pesquisando sobre uma distribuição linux em seus desktops, a gigante HP resolveu chamar a imprensa para falar de seus projetos para venda de computadores com Linux instalado.
Se estas duas grandes empresas investirem pesado na venda de computadores com Linux, a comunidade ganha no preço, desenvolvimento de novos drivers e nomelhoramento dos drivers existentes.
Vamos torcer para que isto aconteça o quanto antes. ;)

Bom exemplo

Uma matéria divulgada no br-linux.org mostra o que todos as pessoas que manipulam o dinheiro público deveriam fazer. Resumindo tudo, o Parlamento francês vai migrar 1154 desktops para Linux e a distribuição escolhida foi o Ubuntu.
Parece que no Brasil nada é bom se não for caro. Está na hora do governo pensar no contribuinte e não mais em seus próprios bolsos.

Devorador de recursos

Hoje tenho apenas uma curiosidade a relatar. Na semana passada, eu e meus amigos fizemos uma lan party no prédio onde moro. A maioria levou seus computadores pra jogarmos em rede. No transporte do meu computador tive um pequeno acidente onde caiu a tampa lateral do meu computador. Esta tampa tem dois coolers extra porque tenho a impressão que meu computador nunca está refrigerando o suficiente. Depois da jogatina resolvi rever a ligação dos cabos de energia no meu gabinete pra tentar otimizar a bagunça. Nessa brincadeira, acabei desligando o cooler do meu processador. Não percebi que tinha feito isso porque meu cooler é ligado na placa mãe e na fonte. Não preciso dizer que depois disso meu computador começou a se desligar logo que era ligado.
No pricípio da semana eu estava sem linux na máquina, tinha apenas meu Windows Home Edition que está lá somente para jogos. Essa instabilidade me deixou bastante irritado e apressou a instalação do Ubuntu Feisty Fawn.
Tirei uma noite para instalar, atualizar e personalizar meu Ubuntu e tudo saiu perfeitamente. Instalei rapidamente, como de costume, e logo fui testar o Beryl também na minha “Super Máquina de jogos”.
Instalei o Beryl e brinquei bastante com os efeitos, incluindo o efeito de água ao arrastar e soltar as janelas e o efeito de chuva. Depois de instalado, fiquei por mais de meia hora brincando com os efeitos até que a máquina se tornou instável e parecia que iria travar a qualquer momento.
Ontem consegui constatar que eu tinha esquecido de ligar o cooler. Sim, agora podem tirar suas conclusões, o window utiliza muito mais processador(Windows XP Home Edition sem nenhuma frescura) que o Ubuntu com o Beryl instalado.
Acho que temos mais um ponto para o mundo Linux.

Instalando o Ubuntu 7.04

Estou eu instalando o novo Ubuntu(Beta) e logo na instalação me deparo com um pequeno bug no particionamento do meu disco. Resolvi mudar minha partição swap de lugar e botei em um espaço vazio no disco, até aí tudo perfeito. A antiga partição swap já tinha sido removida e então resolvi montar no lugar dela uma pequena partição que costumo dar o nome de lixo. Quando informei o ponto de montagem, esqueci de informar como “/lixo”, informando apenas como “lixo”. Ao pressionar o botão “OK”, o instalador me reportou um erro de que o nome não podia ser daquela forma e então pressionei o botão “OK” da janela de erro, no entando esta mensagem continuou infinitamente aparecendo na minha tela e não me deixou concluir a instalação. No final das contas tive que reiniciar o X(poderia ter matado o processo mas reiniciar o X foi a primeira coisa que me veio na cabeça) para recomeçar a instalação.
Outro probleminha que notei foi que as barras de progresso estão aparecendo apenas com a porcentagem e a barra propriamente dita parece que está na mesma cor do fundo da janela, isso impede de se ver direito o progresso pois quando a barra passa pela porcentagem, os números ficam na cor branca que não contrastam nenhum pouco com a cor cinza da janela.
Na última etapa, achei que ficou escondida a opção de relatar os pacotes que se instala no sistema. Esta opção só é vista se pressionarmos o botão Advanced(Avançado). Esta opção deveria estar em uma das janelas normais da instalação pois é através dela que os desenvolvedores decidem quais pacotes terão maior atenção nas próximas versões.
Com a instalação concluída, irei passar uns dias usando o sistema até voltar a falar sobre esta versão e o que achei das mudanças.

Editado: Imagens adicionadas.

Primeiro passo Segundo passo Terceiro passo Quarto passo Quinto passo Quinto passo Sexto passo Sétimo passo Oitavo passo Opções avançadas

Windows Vista? Eu vou de Beryl no Linux

Na versão 8.04 o beryl foi substituído pelo Compiz-fusion que é a junção dos projetos Beryl e Compiz.

Após o lançamento do tão esperado Microsoft Windows Vista, muito se comenta sobre as “novidades” no jeito de se ver o desktop de um Sistema Operacional. Muito barulho foi feito para mostrar as “inovações” trazidas pela empresa do tio Bill mas nada foi falado sobre de onde todas as idéias foram tiradas. Mais uma vez, a microsoft se mostrou muito boa em copiar o que a concorrência inovou.
A Microsoft veio com o gerenciador de janelas Aero e trouxe algumas novidades para os usuários que só utilizam Windows. Estas novidades chegam a parecer brincadeira de criança quando falamos do XGL/Compiz ou do Beryl. Você poderá entender melhor quando assistir ao vídeo logo abaixo.
Neste post resolvi falar sobre o Beryl, que é um fork do Compiz, pelo simples fato de ser muito mais leve que o original. O Beryl é um gerenciador de janelas feito em OpenGL.
Ficar falando em fork e OpenGL não ajuda muito quem está entrando no mundo dos computadores e muito menos quem está entrando no mundo Livre do Linux então vou deixar que o Beryl mostre tudo o que é e pode fazer no vídeo comparativo entre o Aero e o Beryl logo aí abaixo.

Se você gostou do Aero do Windows Vista, compre agora mesmo uma licença deste sistema operacional e seja feliz. Se você gostou mais do Beryl do nosso querido Linux, vou ensinar os pequenos passos que segui para instalar em meu notebook, com Ubuntu 6.10 Edgy Eft instalado, que tem uma placa de vídeo on-board da Intel, isso mesmo, ON-BOARD, e apenas 512 MB de memória RAM.

Faça os seguintes testes para ver se sua placa é compatível:

glxinfo | grep rendering

– A resposta apropriada deve ser:

direct rendering: Yes

– Depois o seguinte comando:

glxinfo | grep GLX_EXT_texture_from_pixmap

Você deve receber alguma informação como recursos que sua placa suporta. Se nada for retornado, provavelmente sua placa não está pronta para rodar o AIGLX.

Estou utilizando o Ubuntu 6.10 e precisei instalar somente o Beryl porque o AIGLX já vem instalado e ativado por padrão.
Você tem duas opções de instalação, Beryl(estável e recomendado) ou Beryl-SVN(desenvolvimento). Eu optei por instalar a versão estável.

Seguindo, estou colando os passos passados na lista de discussão Ubuntu-BR pelo colega Antonio Fonseca.

A) Para instalar o Beryl:

a.1) Adicione os seguintes repositórios ao seu /etc/apt/sources.lits:

## Beryl
deb http://ubuntu.beryl-project.org/ edgy main
deb-src http://ubuntu.beryl-project.org edgy main

a.2) Aquisição das chaves GPG para autenticar os pacotes:

wget http://ubuntu.beryl-project.org/root@lupine.me.uk.gpg -O- | sudo
apt-key add –

a.3) Executar os comandos:

sudo apt-get update
sudo apt-get install beryl

ou, assim:

sudo apt-get update
sudo apt-get install beryl-core beryl-plugins emerald beryl-settings
beryl-manager beryl emerald-themes

Agora carregue o bery-manager:

beryl-manager

Pronto!

Você pode fazer com que o beryl-manager carrege automaticamente sempre que
iniciar uma sessão de trabalho no Gnome, procedendo da seguinte maneira:

Abra os menus: Sistema > Preferências > Sessões, selecione a guia Programas
Iniciais e clique no botão Adicionar; adicione /usr/bin/beryl-manager

Não irei descrever os passo para instalar a versão de desenvolvimento porque não recomendo para ninguém. É melhor evitarmos dores de cabeça e usarmos o que está atestado como funcionando.

Espero que este post tenha sido útil e até o próximo. ;)

Revisão by Andre Almeira

45 dias

Vamos reativar este blog com uma notícia divulgada no GigaBlog UOL Tecnologia. No blog é relatada a experiência que estão tendo na redação com um Ubuntu rodando pelo CD a 45 dias sem nenhum travamendo ou perda de performance.
É destacado por eles a captura de tela que abre um aplicativo sempre que pressionada a tecla PrintScreen. Este programa não é exclusivo do Ubunto, mas sim, parte do Gnome.
O relato só não é perfeido por falta de conhecimento de quem tentou instalar o Ubuntu. Ele diz que o Ubuntu não conseguiu conversar com a partição NTFS, já existente no disco rígido, para que ele pudesse redimensionar a partição onde estava o windows e então gerar as partições para o Ubuntu.
Meu único comentário é: Não repita este feito, em momento algum é recomendado ficar com um CD por tanto tempo rodando no drive.

Mudança no parque de máquinas

Depois de muito me desanimar e provavelmente desanimar os leitores deste humilde blog, consegui “atualizar” o parque de máquinas do Ubuntero. Agora este querido site conta com um super K6-2 500 com incríveis 96 MB de memória RAM.
Como no caso do primeiro servidor, este upgrade foi feito graças a doações diversas. Além da nova placa mãe, processador e memória, nosso servidor conta com mais um HD. Isto possibilitará a disponibilização de alguns arquivos e pacotes que eu achar importante ou que forem difíceis de encontrar pela internet.
Este upgrade me deu novas forças para recomeçar mais uma vez a postar(era um parto escrever nessa interface cheia de AJAX com o servidor antigo)