Resultados do 1º Seminário TcheLinux Erechim

Logo TcheLinuxNo dia 23 de Junho foi realizado o 1º Seminário Tchelinux Erechim nas dependências da FAE(Faculdade Anglicana de Erechim). A inscrição para o evento exigia a doação de 2 Kg de alimento e o total de doações foi aproximadamente 400 Kg. Os alimentos arrecadados foram doados para uma instituição de caridade da cidade.
O evento teve um público aproximado de 200 participantes e teve 19 palestras das quais participei de 5.
As palestras eram dadas em paralelo, o que permitia que cada pessoa assistice a apenas 5. Nenhum problema quanto a isto, apenas para constar.

    As palestras que assisti foram:

  • Ferramentas GPL para a segurança de redes(Vanderlei Pollon)
  • Esta foi a primeira palestra que assisti e foi a única que não correspondeu ao que eu esperava, não pela falta de capacidade do palestrante. Eu não tinha visto que as palestras eram divididas em básicas, intermediárias e avançadas e estava escolhendo as palestras pelos assuntos. Esta palestra estava classificada como sendo para iniciantes e então ficou totalmente dentro do proposto e totalmente dentro das ferramentas que utilizo no trabalho. Não tenho muito o que falar sobre a palestra a não ser que mostrou as ferramentas mais utilizadas para manter a ordem e a segurança de uma rede.

  • Ubuntu, Linux no seu desktop(Leonardo Menezes Vaz)
  • Os principais tópicos abordados nesta palestra foram “O que significa Ubuntu?”, “Um pouco de história”, “Características do Ubuntu” e “Onde Conseguir?”

    O que significa Ubuntu?
    Aqui foi dito o que os usuários do Ubuntu já sabem. Ubuntu é uma antiga palavra africana que significa, entre outras coisas, “humanidade para todos” ou ainda “Sou aquilo que sou devido ao que todos somos”. Foi falado também sobre a importância deste projeto de Software Livre.

    Um pouco de história
    O Mecenas do software livre foi lembrado. Foi falado quem é Mark Shutteworth e um pouco de sua história, até uma foto dele na estação espacial foi mostrado para todos terem certeza que este cara existe e que é um ser humano. A empresa que deu origem a toda esta revolução também foi lembrada. Um pouco da história da Thawte até a sua venda para a Verisign em 1999 por míseros US$ 575 mi. Por fim foi contada a história do início da Canonical em 2005 e seu investimento inicial de US$ 10 mi feito por Mark.

    Características do Ubuntu
    Neste ponto da palestra já começamos a entrar nos redutos do Ubuntu. Começando com o software Launchpad, todos puderam ver o porque é tão fácil e ágil a colaboração com o projeto Ubuntu. A facilidade de ralatar bugs, contribuir com traduções e correções de softwares foi mostrada para os que ainda não sabiam como colaborar com um projeto de software livre.
    Entre as principais características do Ubuntu foram citadas que o Ubuntu é baseado no Debian, tem simples instalação e uso, sistema completo em um único LiveCD, suporte a vários idiomas, distribuição mais popular na atualidade, disponibilidade gratuita, lançamentos semestrais, versões com longo tempo de suporte, ciclo de desenvolvimento intenso e exaustivamente testado.
    Toda a famíli Ubuntu foi mostrada(Ubuntu, Kubuntu, Xubuntu, Edubuntu)

    Onde Conseguir?
    Neste momento comecei a aparecer na palestra, na verdade já tinha dado uns pitacos alguns instante antes e o palestrante já tinha notado que eu era mais um, “Ubuntu fanboy”, como ele mesmo falou no momento.
    As maneiras de se conseguir uma cópia do Ubuntu para instalação foram passadas para o pessoal. Download gratuíto na internet, compra de CDs e DVDs e o ship-it que foi lembrado que deve ser usado com cautela. Por último ficou a alternativa de conseguir uma cópia comigo. Um CD virgem e eu estaria totalmente disponível para gravar a imagem de qualquer “sabor” do Ubuntu.
    Este foi o momento em que surgiu uma promissora amizade.

  • Setup perfeito: Ubuntu Feisty(Leonardo Menezes Vaz)
  • Os tópicos abordados nesta palestra foram “Antes de começar”, “Onde consigo um CD”, “Por que usar o KDE?”, “Instalando o Kubuntu”, “Depois da instalação” e “Informações posteriores”.

    Antes de começar
    Preocupações básicas que todos devem ter ao instalar um novo sistema operacional foram lembrados e enfatizados. Backup de todos os dados importantes devem ser feitos, não apenas quando uma instalação de sistema operacional for feita, mas sempre, principalmente por que dispositivos eletrônicos e mecânicos de armazenamento não são de total confiança, um dia eles sempre irão falhar e podem lhe deixar na mão.
    Outro ponto crucial lembrado foi o de verificar a configuração mínima de hardware para instala o sistema. o Ubuntu é uma distribuição nova e tem os mais atualizados softwares do mercado de software livre e então não pode ser instalado em máquinas que antes rodavam apenas sistemas operacionais da década de 90. Mesmo sendo mais leve que o principal concorrente de código fechado, o Ubuntu não pode fazer milagre com sua máquina.

    Onde consigo um CD?
    Foi repetido o que foi dito na palestra anterior, incluindo a minha disponibilidade para gravar as mídias.

    Por que usar KDE?
    O palestrante não falou mal do Gnome nem de nenhuma outra interface gráfica e argumentou por que prefere o KDE. Entre seus argumentos, que achei todos válidos mas ainda continuo a usar o Gnome, estão a estabilidade comum ao Gnome, robustez, consistência, integração, usabilidade e qualidade. Em nenhum momento foi dito que outras interfaces não tinham estas qualidades. O principal ponto que faz com que o palestrante opte pelo KDE é a biblioteca QT que tem todos os seus componentes integrados em um único lugar. Alguns comentários foram feitos quanto a alguns aplicativos do KDE.

    Instalando o Kubuntu
    Todos os paços de instalação, estou finalizando um artigo sobre este assunto como prometido, foram mostrados fiz questão de enfatizar que durante todo o processo de instalação o sistema permanece totalmente funcional.

    Depois da instalação
    Nesta parte foi mostrado o que pode ser feito logo após a instalação do sistema operacional. Configurações, gerenciamento de pacotes e atualização do sistema e como a instalação ainda estava baseada na versão 6.10 também foi mostrado o Automatix que eu não recomendo nem vejo mais motivos para a instalação após a versão 7.04. Não podia faltar a explicação sobre o que é o sudo e por que ele é utilizado no Ubuntu.

  • Aplicações livres para o seu Desktop(Leonardo Menezes Vaz)
  • Nesta palestra lá estava eu novamente participando como “burner man” para as mídias do Ubuntu, OpenCD e CDLivre 2.0. Os softwares de maior sucesso no mundo do software livre foram mostrados. OpenOffice e Firefox tiveram grande destaque por seu grande sucesso.
    Na parte de jogos o palestrante me deixou de calças na mão ao me pedir para falar um pouco para todos os presentes. Eu não tinha preparado nada e tive que falar no improviso o que me surgiu na cabeça. Falei um pouco sobre o jogo “World of Padman” e enrolei um pouco por não saber o que falar ao ser pego de surpresa.

  • OpenBSD: leve, funcional e seguro(Leonardo Menezes Vaz)
  • Esta foi a palestra que mais novidades me trouxe. Sempre tive curiosidade em conhecer a família BDS que é tão conhecida por sua segurança. Como o título da palestra diz, foi dado enfase na distribuição OpenBSD que conseguiu me convencer que é a mais segura entre todas as alternativas comerciais e livres no mercado, afinal é a única que conseguiu a incrível marca de apenas duas falhas remotas em 12 anos de projeto.
    A história de seu surgimento, de seu mantenedor e como tudo é feito me deixou bem seguro quanto a distribuição mas me deixou preocupado quanto ao suporte de hardware por ser uma distribuição bastante rígida e que não aceita drivers binários. Ou o fabricante fornece as especificações, acho isso certo, ou o sistema não suporta o hardware. Na política do mantenedor, o sistema operacional tem que suportar o hardware e não o contrário.

Fiquei muito contente com o resultado deste evento e fiz novas amizades. Em conversa com o pessoal to Tchelinux, na janta em uma pizzaria, ficou em aberto a possibilidade de um “braço” do Tchelinux em nossa cidade. Ainda não entrei em contato com o pessoal mas logo estarei mandando um email para enfim começar um grupo de usuários em Erechim. Este grupo não será apenas de aparência, para que eu leve esta idéia adiante o pessoal que quiser participar terá que realmente participar. Ninguém levará o nome do grupo apenas para se alavancar no mercado de trabalho. Quero um grupo participante em palestras, desenvolvimento e traduções.

Adicione em seus favoritos os links para o blog e planet do Tchelinux. Abaixo segue o link para download dos slides das palestras.

Turbinando o OpenOffice

OpenOfficeQue o Open Office é um tanto quanto pesado todo mundo sabe. Para os que não se conformam com isso e querem dar uma melhora no desempenho deste aplicativo aí vão algumas dicas retiradas do site Zolved e algumas que recebi por email do José Geraldo Gouvea.

  • Abra qualquer programa do Open Office
  • Vá no menu “Tools” e clique em “Options”
  • No lado esquerdo clique em “Memory” e no lado direito reduza o valor do “Undo steps” de 100 para 20 ou 30
  • Em “Graphics cache” mude o valor para 128
  • Mude “Memory per object” para 20
  • Mude “Cache for inserted objects” para 20
  • Marque a opção “Enable systray quickstarter”
  • No lado esquerdo clique em “Java” e no lado direito desmarque “Use a Java runtime environment
  • Clique no botão “OK”

Estas mudanças já farão alguma diferença mas recebi mais algumas por email. Faça como abaixo para aplicar estas outras modificações.

  • Vá no menu “Tools” e clique em “Options”
  • No lado esquerdo selecione “General” e no lado direito desmarque a opção “Tips” e “Help Agent”
  • No lado esquerdo selecione “View” e no lado direito desmarque as opções “Show preview of fonts” e “Show font history”
  • No lado esquerdo selecione “Load/Save” e depois em “General” e no lado direito desmarque a opções “Load user-specific settings with the document”, “File system” e “Internet”

Estas são algumas dicas que utilizei e que fizeram a diferença em meu notebook.

1º Seminário de Software Livre TcheLinux Erechim

Logo TcheLinuxAs inscrições para o 1º Seminário de Software Livre TcheLinux Erechim estão abertas. Para o dia do evento você deve levar dois quilos de alimento não perecível.
O 1º Seminário de Software Livre Tchelinux Erechim é promovido pelo Tchelinux em parceria com a Faculdade de Análise de Sistemas da FAE (Faculdade Anglicana de Erechim). O seminário dá continuidade a um longo calendário de eventos que o grupo está realizando em várias cidades do Rio Grande do Sul durante o ano de 2007. O intuito é apresentar e divulgar para estudantes, e demais interessados, o Software Livre, através de debates, palestras e demonstrações práticas, desmistificando-o.

Canonical, Red Hat e Mandriva dizem não a Microsoft

PatentesQuando você tem um produto bom e sabe como ele foi feito fica muito fácil dizer que seu produto não precisa se proteger, com contratos, contra acusações de quebra de patentes. Enquanto empresas como Novell, Linspire e Xandros assinam contratos de “interoperabilidade” com a Microsoft, empresas com ótimos produtos Como Canonical, Red Hat e Mandriva deixam bem claro que este tipo de contrato não interessa a eles.

“Nós adoraríamos fazer a mesma espécie de negociação com a Red Hat”, afirmou Tom Robertson, gerente geral de interoperabilidade e padrões da Microsoft em uma entrevista à agência de notícias norte-americana IDG News Service na sexta-feira (15/06). “Estamos sempre abertos a falar com eles”.

“Nós continuamos a acreditar que o código aberto e a inovação não devem ser objeto de uma taxação sem fundamento que ainda carece de transparência”, afirmou a porta-voz da Red Hat Leigh Day.

Para quem entende inglês, em seu blog, Mark Shuttleworth escreveu o que pensa sobre este assunto.

Dois monitores no Ubuntu

DisplayConfigGTKA algum tempo atras costumava utilizar dois monitores no windows para algumas tarefas como deixar o winamp rodando no monitor com menor resolução enquanto eu trabalhava no outro monitor em minhas coisas ou deixava o menor monitor com os problemas da maratona de programação enquanto tentava resolve-los no outro monitor. No windows isto era extremamente fácil de ser configurado com o software da placa de vídeo, já no linux eu nunca consegui fazer com nenhuma das placas de vídeo que eu tinha(Nvidia e ATI). Sei que isso era possível apenas por ver tutoriais em fórums pela internet. As dicas dos fórums mostravam alterações que deveriam ser feitas no arquivo xorg.conf mas nenhuma dica funcionou comigo e com várias pessoas.

Ao que tudo indica, esta tarefa deixará de ser tão complexa como era em versões anteriores do Ubuntu. Não é nada oficial mas possívelmente o ConfigDislplayGTK será adicionado como padrão no Ubuntu em sua próxima versão.

Usuários da versão 7.04(Feisty Fawn) é possível instalar o ConfigDislplayGTK seguindos os passos abaixo:

Faça o download dos arquivos guidance-backends e displayconfig-gtk.
Depois de fazer o download dos dois arquivos, de um duplo clique no arquivo guidance-backends_0.8.0-1ubuntu3_i386.deb para fazer sua instalação e em seguida faça o mesmo com o arquivo displayconfig-gtk_0.2+20070605ubuntu1_all.deb.
Depois de finalizada a instalação, vá no menu “Sistema -> Administração -> Screens and Graphics” e faça a sua configuração.

Drivel Journal Editor

Drivel LoginEste post está sendo escrito no drivel. Drivel é um editor online de blogs para o Gnome. o editor ainda não é WYSIWYG(what you see is what you get) mas tem opções de formatação que ajudam a não ter que digitar os códigos html manualmente. Entre os recursos dispníveis na atual versão estão:

  • Suporte para blogs LiveJournal, Blogger, MovableType, Advogato e Atom(sistemas baseados nestes como WordPress e Drupal também são suportados).
  • Postagem, edição, deleção e visualização de entradas recentes
  • Verificação de escrita e destaque de sintaxe HTML
  • Edição e criação offline
  • Recuperação automática em caso de problemas

O que eu senti falta foi a opção de selecionar mais de uma categoria para o artigo, o recurso WYSIWYG e upload de arquivos. Tirando estes dois probleminhas, acho que o programa está indo no caminho certo e tem tudo para ser meu editor de artigos padrão.