Pesquisa sobre desktop

A Free Softwaer Foundation está realizando uma pesquisa com objetivo de identificar onde devem ser investidos esforços em desenvolvimento para desktops corporativos.

Para participar da pesquisa clique neste link.

Não esqueçam de comparecer ao Install Fest que será realizado neste sábado nas dependências da Universidade Regional Integrada – URI Campus de Erechim.

XII Semana Acadêmica do Curso de Ciência da Computação

Tenho que correr contra o tempo para por as notícias em dia. Hoje começa a XII Semana Acadêmica do Curso de Ciência da Computação da URI Campus de Erechim. A semana acadêmica está um pouco mais curta este ano devido aos inúmeros feriados nas quintas e sextas-feiras, o que acabou por prejudicar as aulas de alguns professores.

A programação do evento é a seguinte:

    Dia 22 de outubro de 2007 (Segunda-Feira)

  • 19h30min Abertura Oficial
  • 19h50min Palestra: Business Intelligence (Data Warehouse)
    Palestrante: Profª. Leila Lisiane Rossi (UFMS-CPCX MS)
    Dia 23 de outubro de 2007 (Terça-Feira)

  • 19h30min Palestra: Tecnologia Móvel e Novas Mídias: o futuro da comunicação
    Palestrante: Beatriz Kunze
    Dia 24 de outubro de 2007 (Quarta-Feira)

  • 19h30min Palestra> Sistemas P2P e suas Aplicações
    Palestrante: Carlos Raniery Paula dos Santos (UFRGS – Porto Alegre/RS)
    Dia 27 de outubro de 2007 (Sábado)

  • 8h INSTALLFEST

O que mais interessa para este blog é o Install Fest. Neste Install Fest teremos dois Ubunteros palestrando e então conto com a presença de todos para prestigiar o evento.

A sinopse do Install Fest e das palestras é a seguinte:

Install Fest
Nos mesmo moldes do Flisol, estaremos realizando mais um install fest na Universidade Regional Integrada de Erechim – URI. Desta vez não será um evento solitário, este install fest finalizará a semana acadêmica do curso de Ciência da Computação.

Durante o install fest um grupo de voluntários estará instalando linux e programas livres em máquinas windows devidamente legalizadas. As distribuições linux escolhidas pelo grupo foram Ubuntu e Mandriva por se apresentarem como as distribuições mais amigáveis para desktops de pessoas comuns.

Além das instalações, três palestras serão ministradas. As palestras são as seguintes:

Palestra – Software livre para sua empresa
O Software Livre é uma das mais crescentes ondas em se tratando de negócios para empresas e público geral. Mas, se o Software é “Livre”, como manter um plano de negócio em cima de um produto que qualquer um pode copiar, modificar e distribuir? Nesta palestra, iremos desmitificar algumas crenças antigas sobre Software Livre e debater sobre como o Software Livre hoje é, sim, uma ótima ferramenta, tanto no ramo profissional quanto no ramo empresarial e de negócios.
Palestrante: Marcos Andre Lucas

Palestra – Linux x Windows, mitos e verdades
O GNU/Linux já é uma realidade em muitas empresas, e vem conquistando espaços também no dia-a-dia de todos. Porém, devido a algumas incertezas e dúvidas que ainda permeiam a todos que se vêem diante do “novo”, aliados a certas campanhas errôneas de marketing, muitos mitos existem em torno deste assunto. Nesta palestra, iremos discutir alguns mitos do Linux, e também alguns do Windows, contrapondo-os a fatos e verdades. Sem tecnicismo, com linguagem clara, e principalmente: isenta, sem fanatismo.
Palestrante: Marcos Andre Lucas

Palestra – Demonstração Mandriva e Ubuntu (Como usar o sistema)
Duas grandes distribuições Linux do mercado serão demonstradas nesta palestra. Será demonstrado como e o que pode ser feito com a instalação padrão de cada uma das duas distribuições. As aplicações demonstradas serão todas voltadas para desktop.
Palestrante Ubuntu: Ivan Brasil Fuzzer
Palestrante Mandriva: Saulo Matté Madalozzo

Chamada de Trabalhos 2º Seminário de Software Livre Tchelinux Porto Alegre

Ainda com o dedo quebrado mas bom o suficiente para conseguir escrever, quero informar que no dia 19 foi aberta a chamada de trabalhos para o 2º Seminário de Software Livre Tchelinux que acontecerá no dia 1º de Dezembro de 2007 em Porto Alegre. O período para submissão de propostas vai de 19 até 25 de Outubro, e as palestras escolhidas serão anunciadas no dia 26 de Outubro juntamente com a programação oficial do evento.

Para enviar a sua proposta acesse o link http://www.tchelinux.org/papers/.

Quero ver palestrantes de Erechim na programação do evento!

Linux no ClicRBS

Está complicado de escrever pelos próximos 15 dias, inclusive irei atrasar o artigo sobre as impressões sobre o Ubuntu Gutsy Gibon. O motivo disto é que eu quebrei um dedo jogando futebol.

Recebi por email o link para a notícia que foi divulgada no site ClickRBS falando sobre Linux. A matéria fala muito bem sobre a “nova cara” do linux fácil de usar. Como o dedo já está doendo, recomendo a leitura da notícia no site.

Tempo fora do ar

O Ubuntero aproveitou o feriadão e ficou fora do ar. Neste tempo foi feita a migração do servidor, que antes rodava Mandriva, para o Ubuntu Server.
A instalação do Ubuntu Server foi tranquila mas um sistema de e-groupware fez com que os outros serviços ficassem fora por bastante tempo. Alguns problemas foram causados por desconhecimento meu sobre algumas ferramentas que estavam sendo instaladas, mas outros problemas foram causados pelo e-groupware.
O e-groupware em questão é o Zimbra que adora tomar o servidor como sua exclusividade. Ainda estou aprendendo a usá-lo e quando puder posso falar um pouco mais sobre suas funcionalidades.

Máquinas virtuais

Enquanto esperamos a chegada do novo Ubuntu, versão 7.10, para dar continuidade aos artigos sobre migração, vou falar um pouco sobre máquinas virtuais e sobre o programa utilizado para executar e retirar as telas mostradas nos artigos.

Começando pelo básico, o que é uma máquina virtual? Segundo a definição da wikipedia.org, “Uma máquina virtual (Virtual Machine – VM) pode ser definida como “uma duplicata eficiente e isolada de uma máquina real”.”. Traduzindo, uma máquina virtual é uma simulação, por software, de uma máquina real.

Estas máquinas virtuais já estão presentes no dia-a-dia de todos nós. Quem nunca usou um emulador de super nintendo, mega drive ou atari? Estes são os exemplos mais clássicos de máquinas virtuais e que muitas pessoas nem imaginam que estão utilizando.

Outro exemplo de máquina virtual é o Java. Diferente das outras máquinas virtuais citadas acima, o Java é uma máquina virtual específica para uma linguagem e não para uma máquina. Confuso mas não tanto, no caso do Java não existe uma máquina física que faça o mesmo, então ela não é uma emulação mas uma implementação do conceito.

Algumas das principais utilizações de máquinas virtuais são:

  • Desktop: Para testar vários sistemas operacionais sem precisar formatar o computador ou fazer várias partições são uma ótima escolha. Além de testar sistemas operacionais, podemos testar programas sem arriscar danificar nossos computadores com a infinidade de vírus ou spywares que podem ser instalados juntamente com programas no caso do Windows.
  • Servidores: Com um único computador físico, podemos ter vários máquinas virtuais rodando como se tivéssemos vários servidores para fins diferentes. Podemos fazer uma máquina virtual para servidor web, outra para servidor de emails e outra para servidor de arquivos. Podemos ainda criar máquinas para teste de novos serviços para disponibilizar para os funcionários e colaboradores sem a necessidade de ter uma máquina física para estes testes.

Das máquinas virtuais disponíveis no mercado já utilizei duas, VMWare e VirtualBox. Meu primeiro contato com este tipo de software foi com o VMWare.

O VMWare é uma solução proprietária e de código fechado. Acredito que seja a solução mais conhecida no mercado corporativo. Nunca tive nenhuma dificuldade em instalar e utilizar esta solução mas também nunca tive dinheiro sobrando para comprar uma licença, utilizando assim as versões de teste disponibilizadas no site do desenvolvedor. Existe uma verão completa e free, VmWare ESX Server, mas nunca utilizei.

Uma solução de código aberto é o VirtualBox. Como nunca fiz a utilização deste tipo de solução em servidores, o VirtualBox sempre atendeu as minhas necessidades de virtualização. Para os artigos de migração do Windows para o Linux é esta máquina virtual que utilizo. A interface é parecida com o VMWare, o que ajuda quem está tentando fazer a migração.

PS: Nos próximos artigos sobre migração estarei utilizando a versão 7.10 Gutsy e estarei explicando o que mudou nos artigos anteriores.

Mais um banco na contra-mão

Depois do Unibanco, agora é a vez do Banco Real exigir que seus correntistas utilizem o sistema operacional windows. Eu estou completamente convencido de que há algum patrocínio para esses bancos ou uma total falta de capacidade dos desenvolvedores dos sistemas de “segurança” dos bancos. Em nome da segurança, exigem que seus correntistas utilizem do sistema operacional reconhecido como mais inseguro do mercado.

Agora resta aos correntistas, utilizadores de Linux e Mac OS, que reclamem ao banco.

Mais informações podem ser obtidas no site BR-Linux

1º Seminário de Software Livre Tchelinux Canoas

Antes de mais nada quero pedir desculpas pelo blog ter ficado fora do ar durante o final de semana. O servidor teve um pequeno problema de falta de energia não superado pelo nobreak e não voltou a ligar normalmente logo que a energia se reestabeleceu.

No dia 29 de setembro foi realizado mais um Seminário Tchelinux. Desta vez o evento foi realizado em Canoas e contou com a presença de aproximadamente 200 pessoas. O Ubuntero marcou presença com dois de seus escritores, Ivan e Marcos.

Erechim participou em peso deste evento, ainda não foi com palestrantes mas com ouvintes. Uma turma de 33 alunos do curso de Ciência da Computação.

Aproveito este post para corrigir um erro que não me dei conta durante o evento. Quem correu atrás de ônibus e organizou a ida do pessoal da URI para Canoas foi o Centro Acadêmico de Informática e Ciencia Da Computação(CAICC), minha contribuição foi apenas na divulgação do evento. Fica o meu pedido de desculpas por não ter dito isto no dia do evento, não foi por mal, apenas não me dei conta disto na hora.

Logo na abertura do evento uma nuvem negra pairou sobre os palestrantes. A máquina que se encontrava disponível para a apresentação dos slides estava com um grande bug, veja a foto abaixo.

Bug

O bug foi corrigido rapidamente e a abertura do evento pode ser feita com total tranquilidade.

Bug corrigido

Desta vez escolhi as palestras que estavam mais ligadas a minha profissão e que acabavam não falando do Ubuntu. Assisti a palestras relacionadas a redes e ao kernel.

Nas palestras referentes ao kernel do Linux foi onde pude sentir na pele a principal ideologia do software livre, compartilhamento de conhecimento. As palestras foram ministradas por Douglas Landgraf.

No intervalo entre a primeira e a segunda palestra sobre o kernel conversei um pouco com o Douglas e falei sobre a minha tentativa, ainda infeliz, de alterar o driver spca para fazer minha webcam funcionar no linux. O Douglas se mostrou bastante prestativo e se disponibilizou a me ajudar nesta empreitada. Daqui a alguns dias estarei incomodando ele para que eu consiga enfim alterar este driver. Depois das palestras ficamos bastante tempo conversando sobre a vida, alguns projetos que encaramos e com certeza saí de Canoas com um novo amigo.

Outro ponto positivo foi eu ter conhecido o atual Coordenador do grupo Ubuntu-RS, Arlei. Fomos apresentados pelo Leonardo Vaz logo após a abertura do evento. Conversamos um pouco sobre a necessidade de um projeto para que possamos trabalhar mais pelo Ubuntu. Não decidimos nada mas vamos chegar a alguma coisa em breve.

Depois do evento falei com alguns dos participantes de Erechim e todos acharam muito bom o evento, alguns até já estão conversando sobre a possibilidade de comparecer ao próximo evento que será em Porto Alegre com data a confirmar. Fico feliz por ter conseguido levar essa galera até este evendo e muito mais feliz por eles terem gostado.

A partir da semana que vem voltarei a trabalhar no driver da minha webcam e o Douglas vai ter alguém pentelhando todas as madrugadas.