5º Tema – Elementary

Essa semana não tive tempo algum para planejar um tema bem elaborado, mas não foi algo necessariamente ruim, já que o post de hoje, é destinado completamente à instalação do Elementary, que é, sem sombra de dúvidas um dos temas mais usados como base para outros, se esse não for o mais. Mas convenhamos, se já o instalou, sabe bem do que falo, é simplesmente incrível. Com seus tons cinzas, e alguns pontos mais escuros, fazem do mesmo, uma das melhores alternativas para temas. Mas sabem o melhor de tudo isso? O Elementary tem um repositório, fazendo que sempre tenhas as últimas melhorias para o tema. A instalação do tema é bastante simples, e após instalado, basta que selecione nas Preferências de Aparência. Para realizar a instalação basta que tenha terminal aberto (Aplicações → Acessórios → Terminal).

Antes de instalarmos o tema, quero frisar que há duas opções para o tema, a instalação simples, que somente instala o tema GTK, pacotes de ícones e alguns wallpapers. Por outro lado, temos a instalação completa do tema, com tudo o que vem no tema simples, mais funcionalidades para o Nautilus. Caso queira somente a instalação simples, digite:

sudo add-apt-repository ppa:elementaryart && sudo apt-get update && sudo apt-get install elementary-theme elementary-icon-theme elementary-wallpapers

Mas caso deseje a versão completa do tema, rode o seguinte no terminal aberto:

sudo add-apt-repository ppa:am-monkeyd/nautilus-elementary-ppa && sudo add-apt-repository ppa:elementaryart && sudo apt-get update && sudo apt-get install elementary-theme elementary-icon-theme elementary-wallpapers && sudo apt-get upgrade && nautilus -q

Feito isso já terá o tema instalado em vossa máquina. Para por o tema pronto para funcionar em sua máquina basta ir nas Preferências de Aparência e selecionar o Elementary (Sistema → Preferência → Aparência).

Creio que o seu sistema irá tentar selecionar o tema de ícones Elementary Dark, mas o mesmo acaba retornando um erro informando não estar instalado, para isso selecione o ícone de nome Elementary.

Agora, vamos instalar a AWN, uma excelente dock. O processo de instalação é simples, vá no terminal e digite:

sudo add-apt-repository ppa:awn-testing/ppa && sudo apt-get update && sudo apt-get install avant-window-navigator-trunk

Feito isso, terá ela instalada em seu sistema. Se for de seu gosto, substitua o painel do Gnome pela dock, para isso, vá no terminal e digite o seguinte:

gconf-editor

Vá em Desktop, Session, gnome e lá altere o valor de nome gnome-panel por avant-window-navigator. Antes de fechar a sessão para que seja efetuada a retirada do painel, é recomendado que abra a AWN. Adicione um novo dock, movendo-o para cima e adicione mini aplicações para substituir o painel do Gnome. São ele o AWN Main Menu, File Browser Launcher, o Sistray e o Indicator Applet. Depois coloque a AWN para arrancar com o sistema. Pronto, agora basta usufruir de um dos mais belos temas já criados. Até semana que vem e fiquem abaixo com um print da minha tela.

*Clique na imagem para ampliar*

Compartilhando arquivos entre Linux e Windows usando o SAMBA

Muitas vezes precisamos compartilhar arquivos em uma rede onde o servidor (ou mesmo uma estação) é Linux e o “cliente” é Windows. Fiquei pensando se havia uma maneira fácil, com modo gráfico, para fazê-lo. E tem. Mas primeiro vamos utilizar o Terminal para fazer uma instalação e, depois, uma configuração.

1)Abra um terminal e digite:

sudo apt-get install system-config-samba

Isso irá instalar a interface gráfica do samba no seu Ubuntu.
2)Agora vamos alterar o nome do seu grupo de trabalho. No terminal, digite:

sudo gedit /etc/samba/smb.conf

Em “global”, altere o workgroup para o grupo de trabalho desejado (considerando-se ser uma rede doméstica). Salve e feche o arquivo. Reinicie o samba com o comando:

sudo /etc/init.d/smb restart
Percebi, em experiência realizada entre dois notebooks em rede doméstica, que se colocarmos o Windows no mesmo grupo de trabalho que o Linux (o mesmo workgroup do arquivo smb.conf) as coisas ficam “facilitadas”. No máximo irá pedir usuário e senha (acessando a partir do Windows). Esse login e essa senha são definidos dentro do Ubuntu em “Sistema > administração > SAMBA”.
Encontrei o vídeo abaixo (em Inglês) muito interessante sobre compartilhamento de arquivos entre Linux e Windows, vale a pena conferir.
File Sharing With Ubuntu 9.04 Using Samba
Publiquei anteriormente dois posts a respeito de redes AD-HOC, você pode lê-los aqui.
Fiquem todos com Deus.

Meu Twitter: @renatobluesboy

Biblioteca digital desenvolvida em software livre

O “Portal Domínio Público”, lançado em novembro de 2004 (com um acervo inicial de 500 obras), propõe o compartilhamento de conhecimentos de forma equânime, colocando à disposição de todos os usuários da rede mundial de computadores – Internet – uma biblioteca virtual que deverá se constituir em referência para professores, alunos, pesquisadores e para a população em geral.
Este portal constitui-se em um ambiente virtual que permite a coleta, a integração, a preservação e o compartilhamento de conhecimentos, sendo seu principal objetivo o de promover o amplo acesso às obras literárias, artísticas e científicas (na forma de textos, sons, imagens e vídeos), já em domínio público ou que tenham a sua divulgação devidamente autorizada, que constituem o patrimônio cultural brasileiro e universal.
Desta forma, também pretende contribuir para o desenvolvimento da educação e da cultura, assim como, possa aprimorar a construção da consciência social, da cidadania e da democracia no Brasil. Adicionalmente, o “Portal Domínio Público”, ao disponibilizar informações e conhecimentos de forma livre e gratuita, busca incentivar o aprendizado, a inovação e a cooperação entre os geradores de conteúdo e seus usuários, ao mesmo tempo em que também pretende induzir uma ampla discussão sobre as legislações relacionadas aos direitos autorais – de modo que a “preservação de certos direitos incentive outros usos” -, e haja uma adequação aos novos paradigmas de mudança tecnológica, da produção e do uso de conhecimentos.
Fernando Haddad

Entre outros arquivos nas mais diversas áreas da educação.

Sobre os critérios de pesquisa (pesquisa básica)

No “Portal Domínio Público” na página inicial, a filtragem de arquivos é feita da seguinte forma:
  • Tipo de mídia
    • Imagem
    • Som
    • Texto
    • Vídeo
  • Categoria
  • Autor
  • Título
  • Idioma
Pesquisa por conteúdo

O portal oferece também a busca por conteúdo, onde a pesquisa é feita por palavra chave dentro dos documentos do acervo digital.
Pesquisa por Teses e Dissertações

Outra opção é a pesquisa por teses e dissertações. Os critérios de filtragem para a busca de documentos desse tipo é feita assim:

  • Área do conhecimento
  • Autor
  • Título
  • Nível (doutorado e mestrado)
  • Ano de Tese
  • Palavras chave
  • Instituição de Ensino

Pesquisa por nome de autor

Busque as obras através do índice com o  nome dos autores que estão na biblioteca virtual. Autores de A a Z.

 

Para alunos, professores, para qualquer um. O portal é livre!

 

Fonte: http://www.dominiopublico.gov.br

Firefox 4.0

logotipo do firefox

Como todos já sabem, foi lançado o Firefox 4.0 e muitos usuários já estão baixando e usando. Em 12 horas o número de downloads ultrapassou o número alcançado pelo Internet Explorer 9 em 24 horas.

Se você quer usufruir de todas as vantagens desta nova versão do Firefox siga os passos abaixo:

  • Abra o terminal em Aplicativos >> Acessórios >> Terminal e digite os seguintes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:mozillateam/firefox-stable
sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade

Pronto, é só abrir o Firefox que ele lhe fará algumas poucas perguntas e poderá utilizar o Firefox no seu Ubuntu 10.04 ou 10.10. A versão 11.04 já virá com o Firefox 4 instalado por padrão.

Fonte: OMG Ubuntu

4º Tema – Vancouver 2010 1º aniversário

Olá, é com muito gosto que vos apresento hoje o quarto tema da série aqui no Ubuntero. O tema de hoje foi criado por um brasileiro, – que está de parabéns – o Gustavo Reis. O tema é relativamente “simples”, mas foi essa “simplicidade” que me levou à adicioná-lo à série de temas. Hoje não terá nenhum vídeo, estou com problemas na rede, mas o processo de instalação é relativamente simples. Primeiro é necessário que tenhamos o pacote em mãos para instalarmos, para isso faça o download clicando aqui.

Após feito o download em uma pasta a seu gosto, extraia o arquivo em .zip e dentro da pasta resultante da extração encontrará várias sub-pastas, onde encontrará todos os arquivos necessários para o tema. Vamos agora então começar a instalação.

Vá em Sistema; Preferências; Aparência. Mova para as Preferências de Aparência a pasta Vancouver2010 e o arquivo Vancocons.tar.gz assim terá instalado o tema e também os ícones. Talvez os ícones corretos podem não aparecer por padrão, então caso isso aconteça, vá em Personalizar e na guia Ícones selecione o ícone de mesmo nome do arquivo tar.gz.

Agora vamos adicionar ao Painel do Gnome, uma imagem para que fique com aparência de gelo. No painel superior do Gnome, clique em Propriedades e em Plano de Fundo vá em Imagem de fundo e selecione dentro da pasta do tema o arquivo menu do ubuntu 3.png.

Agora vamos adicionar um fundo ao Nautilus, para isso ainda na pasta vá no menu do mesmo e clique em Editar e vá em Planos de fundo e emblemas e selecione a imagem de nome Fundo do nautilus.png.

Feito, vamos instalar o tema para Google Chrome ou Chromium; vamos fazer isso abrindo o arquivo em .crx dentro da pasta Google Chrome no browser, para isso use o comando Crtl + O e navegue até a pasta. A única coisa que deixo à escolha de vocês, é o quesito fontes. Eu acho melhor deixar as fontes padrão do Ubuntu, mas se não o quiser, instale-as.

Falta agora a tela de login e a splash screen. Para por a funcionar a tela de login, vá como root até a pasta /usr/share/gdm/.themes e copie a pasta Vancouver2010 1st Birthday GDM Theme. Quanto à splash screen vá até a pasta da extração e rode os seguintes comandos;

sudo cp -RVancouver2010-1st-sudo cp -RBirthday-Ubuntu-10.10-Vancouver2010-1st-theme/Birthday-Ubuntu-10.10-/lib/plymouth/themes/theme/sudo update-/lib/plymouth/themes/alternativessudo update-alternatives–install–install/lib/plymouth/themes/de/lib/plymouth/themes/deffault.plymouthault.plymouthdefault.plymouthdefault.plymouth/lib/plymouth/themes/Van /lib/plymouth/themes/Vancouver2010-1st-couver2010-1st-Birthday-Birthday-Ubuntu-10.10-Ubuntu-10.10-theme/Vancouver2010-theme/Vancouver2010-1st-1st-Birthday-Ubuntu-Birthday-Ubuntu-10.10-10.10-theme.plymouththeme.plymouth 100100sudo update-alternativessudo update—configalternatives –configdefault.plymouthdefault.plymouth && sudo update-initramfs -u

Agora basta que selecione o Plano de Fundo da Área de Trabalho que deseje e já se tem o tema funcionando em perfeito estado. Abaixo confira uma screen.

 

Flisol!

Muitas pessoas estão contribuindo para a realização desta edição do FLISOL em Porto Alegre. Sempre há espaço para interessados em se juntar a este grupo.
A edição deste ano, conta com a colaboração direta destas pessoas: Alexandre Rigotti, Camila Ayres, Felipe Groos, Felipe Santos, Gabriel Engel, Leandro Nunes, Luiz Guaraldo, Luiz Rauber, Miguel Grazziotin, Moisés Lima e Rodrigo Warzak.
Responsável: Leandro Nunes

O evento em 2011
•Quando? 09 de Abril de 2011 – entrada a partir das 13:00
•Onde? SindBancários – Rua General Câmara, 424-Centro – Porto Alegre/RS
•Quanto? 2kg de alimento não-perecível
•Inscrições? cadastre-se aqui
A programação do evento será composta de palestras técnicas sobre desenvolvimento de software, tendências tecnológicas, empreendedorismo com software livre e coding Dojos. Além disso, será realizado um install fest, palestras básicas de Linux.
Saiba tudo no site do evento clicando aqui.

Meu twitter: @renatobluesboy

Opencast episódio #2 – Comunidade Ubuntu-BR

Está no ar o episódio de número dois do Opencast. Neste episódio temos como convidados André Gondim, Claiton Sega e Marcos Zin.

Diferentemente dos outros dois episódios, neste foi feita uma espécie de entrevista com o André Gondim sobre a comunidade Ubuntu-BR e como as pessoas podem contribuir com o Ubuntu, também foi comentada a participação, ou não, da Canonical na comunidade brasileira e terminamos falando um pouco sobre o Ubuntu 11.04.

Não perca tempo e comece a ouvir o Opencast e não esqueça de deixar seus comentários no post, no email ubuntero@ubunterou.com.br ou no twitter @ubunterobr.

Também quero já deixar o convite para que outras comunidades participem do Opencast, entrem em contato para discutirmos uma pauta e marcarmos a gravação.

Links do episódio:

Twitter: @tecnologiaabert

Facebook: http://www.facebook.com/tecnologiaaberta

Google+: Tecnologia Aberta

Youtube: Tecnologia Aberta

E-Mail: opencast@tecnologiaaberta.com.br

Feed do Opencast: http://tecnologiaaberta.com.br/feed/opencast/

iTunes: http://itunes.apple.com/br/podcast/id424732898

 

Phonemic Chart no Ubuntu

Para quem estuda inglês e sente falta dos símbolos fonéticos, bem como suas pronúncias nas aulas, o Phonemic Chart é uma boa saída. No entanto, o programa está disponível somente para sistemas Windows e Mac. A solução encontrada para instalá-lo no Ubuntu é através do Wine.

Com o Wine em “ponto de bala” no seu micro, baixe o Phonemic Chart clicando aqui. Devidamente baixado, clique com o botão direito do seu mouse no arquivo e dê “Propriedades” – Aba “Permissões” – clique em “Permitir execução do arquivo como um programa”. Agora basta executá-lo e pronto!

Crie um atalho para o software na Área de Trabalho ou no Menu “Aplicativo”, como preferir. Bons estudos! :)

Opera Unite 11 no Ubuntu

Antes de tudo recomendo a baixar/instalar o Opera 11, você não vai se arrepender. Caso não goste é só desinstalar, não custa nada!

 

Clique na imagem para instalar o Opera 11

O link na imagem acima lhe redirecionará para o site baixaki onde poderá baixar o pacote .deb (Basta clicar duas vezes e pronto, instalação normal).

Sempre fui curioso e gostei de pesquisar/testar novas opções de quaisquer programa. Mas não é apenas testar por testar, busco sempre funcionalidades que satisfaçam alguma necessidade que tenho.

Quando conheci o navegador Opera, ainda na versão 9, não tinha nenhuma noção das características que ele proporciona. Fui mexendo, mexendo…descobrindo coisas legais e úteis.

Tudo começou quando um amigo me pediu um arquivo urgentemente, e, como estávamos longe um do outro (uns 300 km), não tinha como se encontrar com ele e compartilhar através de algum dispositivo portátil. O e-mail seria a salvação.

Seria se o arquivo tiver um tamanho mínimo de 25 mb (para o Gmail) e 10 mb (Hotmail), caso esses valores não tiver sido ampliados. Então como compartilhar pela internet um arquivo com mais de 100 mb? Procurei outras alternativas, mas elas dependiam de outros programas, pois eu sou usuário Linux e o amigo Windows.

Com o Opera 11 já instalado, siga as informações a seguir.


Como instalar um aplicativo (Widgets)

Basta acessar esse link http://unite.opera.com/applications (ou no Opera 11, o botão Adicionar na barra lateral esquerda do Unite) e escolher o aplicativo desejado e mandar instalar clicando no botão logo abaixo. Isso leva apenas alguns segundos.

Nota 01: Esses recursos não são exclusivos para quem tem o mesmo navegador Opera, todos os recursos podem ser visualizados em outros navegadores (testei no Firefox, Chromium e Chrome), basta compartilhar o seu link.

Nota 02: Todos aplicativos só serão compartilhados na internet se o Opera estiver sendo executado.

Nota 03: Vale lembrar que, para compartilhar qualquer aplicativo no Opera Unite 11, você escolhe como privado ou público, isto é, só terão acesso às suas páginas/aplicativos se tiverem sua senha. Essa opção é vista nas páginas dos aplicativos.


Compartilhando arquivos (qualquer tamanho)

O Opera Unite 11 tem algumas opções interessantes. Duas delas são: O WebServer e o File inbox. Como o nome já diz, o WebServer é um aplicativo que funciona como um servidor. É bem simples usá-lo. Basta apenas que se aponte um diretório (pasta) qualquer nesse widget e pronto!

Ao fazer isso, é criado um arquivo index.html (página web) dentro do diretório apontado. Como uma página web qualquer, você pode editá-la do seu jeito, usando algum software de criação/edição de sites (como o KompoZer por exemplo).

 

Meu WebServer (público)

http://admin.notebook.prof-edigley.operaunite.com/webserver/content/index.html

 

Já o File inbox seria mais adequado e direto (no meu caso), para envio de arquivos de qualquer tamanho. Com ele você permite, através da página do aplicativo, fazer upload (envio) de arquivos para o diretório que você escolheu. O mais legal é que se pode definir um limite de tamanho para gerir o espaço do seu diretório.

Meu File inbox (privado)

http://admin.notebook.prof-edigley.operaunite.com/envie-seu-arquivo

 

Compartilhando sua biblioteca musical

Com o Stream media você poderá criar uma transmissão de mídia online do seu computador com o Opera Unite 11, seja áudio, vídeo, etc. Seria uma espécie de rádio online. Compartilhe o Stream media para seus amigos diretamente no navegador. Eles não precisam baixar os arquivos, basta vê-los online.

Pressione o botão “Play” para linha de fluxo (ouvir as músicas) ou clique no nome do arquivo para baixá-lo. Os formatos suportados são: flv, mp3, swf, AIF, AIFF, AAC, AU, bmp, gsm, mov, mid, midi, mpg, mpeg, mp4, m4a, psd, qt, QTIF, QIF, QTI, SND, tif, tiff , Wav, 3g2, 3gp, wma, ra, ram, rm, RPM, RV, SMI, SMIL, asx, asf, avi, wmv.

DICA: Aponte a pasta “Minhas Músicas” com todas as subpastas. Na página do Stream media você poderá navegar dentro das subpastas.

Outra opção de compartilhamento de áudio é o Media Player

 

Meu Stream media (público)

http://admin.notebook.prof-edigley.operaunite.com/minha-radio

 

Media Player (público)

http://admin.notebook.prof-edigley.operaunite.com/media_player/content

 

Outros aplicativos

Minhas imagens (público)

http://admin.notebook.prof-edigley.operaunite.com/Minhas-imagens

Web Proxy | Messenger | My Webcam | Twitter Fridge | Math Session

 

Bom, é isso!

Se gostou ou não, deixe um recado na minha geladeira

http://admin.notebook.prof-edigley.operaunite.com/Minha-geladeira

 

Abraço!