O que faltou no Ubuntu 11.04?

Categoria: Ubuntu | Palavras-chave: , , , ,

Depois de ser “acusado” de defender muito a canonical pelo meu amigo Andre Almeida parei para refletir sobre alguns problemas da nova versão do Ubuntu e aqui relatarei elas.

A interface do Unity me agradou muito e aumentou minha produtividade, mas não tem como esconder que algumas coisas faltaram e, principalmente, coisas boas foram retiradas.

A primeira coisa que me fez falta e continua fazendo já que mesmo habilitando não tem o mesmo funcionamento da versão anterior é o Zoom do desktop. Esta função era muito útil para ver detalhes de fotos ou imagens em geral sem precisar abrir um programa específico para isto. Também utilizava este recurso para mostrar algo para minha esposa quando ela estava no quarto sem que ela precisasse vir para perto do computador.

Mas o principal, que muitas pessoas estão reclamando, é a falta de personalização. Estas pequenas opções que acostumaram mal as pessoas parece ser o suficiente para mutias pessoas dizerem que o sistema não funciona. Concordo que é chato sair de uma interface que se faz o que quiser para uma que nos limita na personalização, mas isto não é motivo para dizermos que o sistema não funciona.

A principal personalização que falta no Unity são os applets que muitos, inclusive eu, usavam para mostrar informações do sistema ou sobre o tempo. Já existem algumas alternativas para estes applets que podem ser adicionados no painel superior ou então podemos utilizar screenlet, desklets ou qualquer outro do gênero. Os applets ainda estão engatinhando e os *lets não me agradam nenhum pouco. Neste artigo mostro como adicionar um dos applets que gosto de usar, mas ele tem problemas.

Alterar propriedades e comportamento da interface é outro ponto fraco desta versão. Não é possível fazer muitas alterações sem instalarmos programas auxiliares como o ccsm ou outro do gênero. As opções disponíveis no Botão de desligar >> Configurações do sistema, aplicação muito mal posicionada, são relacionadas a configurações do sistema que não interferem na interface do Unity.

A bandeja do sistema foi drasticamente “capada” restando poucas aplicações habilitadas por padrão e nenhuma configuração no sistema que permitisse, de forma humana, habilitar os ícones novamente. Caso queira fazer isto terá que apelar para o terminal como descrevo neste outro artigo.

Outro problema que já tem solução definida para a próxima versão do Ubuntu é a mensagem de que o hardware não é compatível com o Unity. Esta mensagem assusta muitas pessoas que tem computadores potentes com placas gráficas Nvidia de qualidade. Antes da instalação dos drivers proprietários ou algum outro driver que dê suporte a aceleração 3D o Gnome clássico é mostrado juntamente com esta mensagem e nada mais. Na próxima versão o Unity 2D será assumido por padrão até que os drivers sejam instalados.

Temos outros problemas? Sim. Mas estes não me afetam e não tenho como me posicionar. Tenho conhecimento de problemas relacionados a utilização de dois monitores e a utilização de saídas HDMI para televisores.

No restante, temos que nos entregar para a nova interface e aproveitar o que ela nos trouxe de bom e parar de chorar porque a maneira de fazer as coisa mudou. Muitas mudanças melhoram a interação com o computador, mas temos que nos propor a aceitar a mudança e não simplesmente tentar utilizar a interface como se nada tivesse mudado. Não precisamos mais utilizar o mouse para tudo, basta usarmos mais o teclado, saber que a tecla super tem muitas funcionalidades e saber digitar 3 ou 4 letras do que queremos fazer e o sistema nos mostra as aplicações disponíveis que possivelmente resolverão nosso problema.

Publicado em 11 de maio de 2011 | 27 Comentários

Ivan Brasil Fuzzer

Ivan Brasil Fuzzer

Faço parte do grupo Tchelinux(http://www.tchelinux.org). O Tchelinux é um grupo de voluntários que trabalha com software livre e ainda acredita que boas coisas podem ser feitas nesta comunidade; desde que saibamos repassar aos que estão iniciando que Software Livre é um aprender e repassar o conhecimento incessante. Sou líder do Ubuntu-BR-RS juntamente com a Marta Vuelma. Tentamos divulgar a distribuição e auxiliar novos usuários por todo o estado do Rio Grande do Sul, as vezes em outros estados também. Sou um amante incondicional de software livre. Vivo apaixonado pelo Ubuntu.

Mais posts do autor (856)

27 Comentários

  1. Sai do Unity e fui para o Gnome3, não consegui (e acho que nem quis) me adaptar ao Unity.

    Acho que o inicio da relação onde houve alguns traumas atrapalhou tudo, e a primeira impressão conta muito.

    • Guilherme,

      Fiquei alguns dias tentando utilizar o Gnome-shell com o Gnome 3 e digo que a mudança é muito mais radical e a navegação muito menos intuitiva. Opnião pessoal? Sim. Mas não consigo ver um usuário comum migrando para o Gnome 3 + Gnome Shell. Se este ver Gnome Shell e Unity na frente, acredito, não posso garantir, que o usuário comum vai preferir o Unity.

  2. Gustavo disse:

    Eu gostei muito do Unity mas se não estou enganado, todas essas opções já existiam no KDE há muito tempo.

  3. joao lellis disse:

    bom eu tenho uma placa nvidia, e não consegui habilitar o 3d, outra coisa e o tamanho que as abas abertas do unity ocupam, são enormes sem motivo algum e também fiquei sem os aplets que uso muito, espero que as coisas melhorem até outubro, mas não tenho intenção de usar a 11.04 mas a falta de personalização deve ter sido por conta dos tantos problemas que o Unity teve que quase fizeram a Canonical desistir de lança-lo agora, no mais as outras modificações não são tão significativas assim, pra quem não curte o Banshee, basta desinstala-lo e usar o seu player favorito, não causa um dano assim tão grande como remover o evolution, que nunca usei e ao remove-lo aqui, danifiquei a instalação toda tendo que reinstalar todo o sistema,

    • João,

      A Canonical nunca pensou em desistir de lançar a 11.04 com outra interface se não o Unity, alguns sites tentaram manipular as palavras do Mark para que isto parecesse verdade, quem leu a entrevista em inglês sabe do que eu estou falando.
      Utilizo uma placa Nvidia em casa e está tudo funcionando, qual é o modelo da sua placa?

  4. José Carlos disse:

    Tenho a convicção de que o Unity, veio com bugs, porém veio para ficar. Minha adaptação ao Unity demorou um dia, no segundo dia de uso já estava fã do Unity. Claro que problemas existem, e não é nada diferente do que foi o lançamento do KDE 4.0, q

  5. José Carlos disse:

    continuação…Claro que problemas exitem e não é nada diferente do que foi o lançamento do KDE 4.0, que só foi apresentar estabilidade, bom tempo depois do lançamento. Resta um pouco de paciência e dedicação ao “novo”, que os problemas se corrigirão. Quem tem problemas com o NVidia, pode tentar utilizar o Drive experimental da comunidade. No meu caso funcionou perfeitamente.

  6. Raphael disse:

    O maior problema que achei ate agora na utilização do Unity foi a desorganização das aplicações. Se instalo um novo programa e não lembro o nome, não tenho mais a opção de buscar na categoria, ficam todos os programas juntos, na maior bagunça, me lembrando um pouco o windows. Fora isso vou me adaptando.

  7. Bitetti disse:

    to ficando c medo de migrar pro Unity. Mesmo pq nunca me deu afinidade botões ou meno na lateral da tela, sempre preferi em baixo.

    Esse aviso sobre os drivers proprietarios com placas NVidia sempre achei extremamente retardados! Por + q o driver seja codigo fechado é para Linux e é da propria empresa que criou o hardware. Além de contrariar o senso de liberdade surge a noção d q o hardware tb teria q ser aberto e sem custo (utopia mas seria bonito)

    • Bitetti,

      O que importa é que não se sabe o que roda no driver, podem haver falhas de segurança inclusive. Como a Canonical não tem como garantir qualidade, não arrisca botar direto na distribuição. Não sei se não tem problemas de direitos autorais também.

  8. Wadilson disse:

    Muito boa a análise..
    Tive problemas com o novo sistema em máquinas intermediárias, mas nos desktops mais novos e potentes dá pra descobrir o poder que o Unity dá na nova maneira de usar o computador, onde o foco é o aplicativo, e não a área do desktop, por ex.
    Várias coisas realmente pararam de funcionar ou apresentam problemas. Nada que não seja possível fazer de outra forma. Como no caso do zoom; na verdade ainda está lá, mas não é mais como era antes.

    A pouca personalização, principalmente da barra launcher, se deve, como já li, ao fato q essa é a primeira versão; melhor deixar o usuário aprender a usar para depois dar poder para q ele mude e troque.. pode ser….

    Apesar dos problemas e ter q voltar a usar o Ubuntu 10 em alguns computadores, sinto falta de recursos do 11.04 quando uso essas máquinas. Creio sim que é um grande avanço. Mas para quem ainda está pouco confiante, sugiro esperar o 11.10, onde muitos desses problemas serão documentados e corrigidos.

    Saudações

  9. Anderson Henrique disse:

    Excelente artigo Ivan. O Unity, mesmo sendo um projeto bastante novo é realmente muito bom. Tentei fazer algumas comparações entre o Gnome 3 + Gnome Shell no Fedora 15 Beta 1 e o Unity pelo fato de ambos os serem um tanto quanto parecidos na minha opinião, mas vejo que foi em vão. Ambos tem suas vantagens, ambos tem suas vantagens, e além de que o Gnome 3 é um projeto muito mais antigo do que o Unity, que iniciou no 10.10. Uma coisa que não gostei na nova versão do Gnome é que o menu aplicativos é acionado pelo passar do mouse, ao menos no Fedora, já que não tive oportunidade de testá-lo no OpenSuse e nisso o Unity leva uma enorme vantagem com relação ao Gnome, pois no Unity, somente aparece a barra com a lista de aplicativos, quanto no Gnome o sua janela atual sai de foco e entra um menu com todas as aplicações. O que fica é, ambas são excelentes, mas ambas tem erros que enchem o saco, mas o que realmente penso é: Gnome 3 + Gnome Shell é muito bom mesmo, mas Gnome 2 + Unity não tem pra ninguém e eu acho que o Unity veio para ficar.

  10. Radical Livre disse:

    Eu ainda acho que um dos problemas do Unity é exatamente o foco na aplicação, não no desktop. O desktop para mim é uma coisa única, onde eu espalho as várias ferramentas que utilizo para executar minhas tarefas de trabalho.

    Tenho um desktop com dois monitores e não acho que o Unity seja a solução para o meu caso. Se a Canonical insistir com o Unity, provavelmente vou ter que procurar uma outra distribuição.

    Mas é claro que isto é absolutamente pessoal, cada caso de uso é diferente. Em casa, migrei para o 11.04 e voltei para o maverick. aqui no trabalho, simplesmente não vou fazer o upgrade por enquanto.

  11. Vitor disse:

    Galera, ajudem a divulgar esse bug que reportei sobre o Unity que ficou faltando uma funcionalidade MUITO óbvia que não dá pra esperar 6 meses pra colocarem na versão 11.10 (isso SE colocarem)!

    Link do bug:
    https://bugs.launchpad.net/ubuntu/+source/unity/+bug/776745

    • Vitor,

      A ideia é interessante, mas não acredito que seja implementada nesta versão. Pela política que observo no Ubuntu, isto está mais para funcionalidade e deve ser implementado para a próxima versão.

  12. Mandrake disse:

    Tenhos os mesmos problemas e vc e as mesmas necessidaes.
    Pena que travou um pouco, porém realmente agilizou a troca de janelas, agora utilizo muito mais as áreas de trabalho do que antes.

    Porém retiraram funções vitais como o Zoom e fica mais dificil customizar qualquer coisa nele.

    Mas acredito que com o tempo acabe ficando melhor que o Gnome 2.

    Excelente texto.
    Abraço.

  13. Olnei Araujo disse:

    Caro, parabéns pelo artigo. A minha única birra com esta versão é sobre o banshee. O programa trava a todo momento, fecha sem motivo aparente e tudo o mais. Isso acontece desde os alphas e parece que não foi corrigido. Tente gerenciar podcast s com ele e poderá comprovar o que estou dizendo.
    Acho que o banshee foi uma escolha ruím. Se ele fizesse direito tudo aquilo que a interface “diz” que ele faz, seria um ótimo player.

  14. Bezerra disse:

    Eu acho que o seu colega tem razão: o programa está incompleto e acabou! Não tem que fica defendendo, não. Antes, intalava o Ubuntu, ia no systray e colocava a temperatura e agora? Tenho que dar nó em pingo d’água, se quiser ter um simples gadget, não gostei mesmo. Se minimizo a página e vou abrir o navegador, a página minimizada abre junto. E por aí, vai…

  15. Ricardo disse:

    aqui tb achei a ausência de mais applets, o item mais importante, mas a notável equipe e comunidade de desenvolvedores do ubuntu, c/ certeza vai estabilizar e nos trazer gratas surpresas nessa e em muitos itens, como essa melhoria do unity2d, que por sinal eu gostei muito.

  16. Fabricio disse:

    Olá. Quase abandonei o ubuntu, não sou nenhum especialista no assunto e não sei nada de códigos, por isso sempre gostei do ubuntu. Ontem eu tive uma idéia simples e prática. Criei um novo usuśrio para testes. Consegui todos os efeitos que facilitavam a minha vida no ubuntu sem usar nenhuma vez o terminal.
    É simples, desbilite todas as funções do compiz, depois habilite o plugin, unity, depois o cubo, depois as janelas aborrachadas, finalize a seção e pronto. Atenção a cada plugin do compiz que habilitar, a barra superior ficará toda bagunçada, basta clicar no canto superior direito, finalizar a seção e iniciar novamente. Sem problemas.
    O único problema é o zoom, que ainda não consegui fazer com que o mouse o siga. Ubuntu sempre.

  17. Henrique disse:

    Migrei do Mandriva para o Ubuntu, tive algumas pequenas dificuldades para me localizar no sistema, mas nada que fuçar não resolvesse. Gostei da interface, o aproveitamento da tela ficou otima, sempre usei a opção de esconder a barra de tarefas, não senti diferença quanto a isso. Quanto a personalização, ainda estou descobrindo o que eh possivel fazer.

    Quero ressaltar que apesar disso, sinto alguns softwares instáveis, minha máquina travou 4 vezes, 3 vezes com o Firefox 4.0.1 com somente uma aba aberta (extensões instaladas: Delicious 2.2 e Yoono 7.6.5) e 1 vez enquanto estava com o protetor de tela Storm Wind do pacote rss-glx.

  18. Olá Ivan,

    Sou exatamente da mesma opinião! Não devemos cingir às nossas “manias”, devemos ter uma mente aberta e experimentar durante algum tempo o que nos propõem. Pois se nos propõem, é porque acham que é uma melhoria.

    Se ele tem problemas graves? Tem pois! Então o que acho mal do Unity? Simplesmente diria que deviam ter esperado mais um pouco e desenvolvido melhor o sistema, nada mais!

    De resto aceito mudanças desde que ponham o nosso sistema de uso diário mais moderno e produtivo!

    Abraço,
    Cláudio Novais.

  19. Valdir Oliveira disse:

    Salve, também quero deixar aqui minha contribuição, e isso é o que tem de mais maravilhoso na comunidade Linux, e é o que torna o sistema superior aos demais. Desenvolvimento a nível mundial, vai encarar?
    Na minha opinião o sistema já está tão a frente nos quesitos estabilidade e segurança (que é o que realmente um sistema precisa pra produzir), que já está se dando o “luxo” de imprimir uma identidade visual; que considero ser de grande importância na a conquista de novos usuários.
    Concordo que o unity está amadurecendo enquanto a comunidade o utiliza e comenta.
    Quanto minha contribuição com as “faltas” detectadas, foram elas:

    Personalização como já foi citado, quando o pc dorme com determinados programas na tela ele trava,
    mas o que foi descontinuado e não deveria, foi a prioridade na diminuição do tempo de inicialização consequentemente execução de aplicativos, não foi nada drástico, mas perceptível, fique claro que quando comparado ao windows não perdeu absolutamente nada uma vez que, aqui em dual boot os tempos são Ubuntu 11.04 = 40s contra o Vista = 180s aprox. para que todo o sistema esteja inicializado:
    Notebook HP Pavilion 2940BR – Core 2Duo, 2 Gb de RAM (ambos com minhas necessidades de usuário instaladas).
    Concluindo, essa vantagem de tempo da margem para que os desenvolvedores possam focar no desenvolvimento de softwares ao nível do sistema que é a REAL deficiência do mesmo, superando até mesmo os 5s a mais na inicialização quando comparado a versão anterior.

    Abraço,
    Valdir Oliveira.

  20. Hannya disse:

    Na minha opnião faltou mais compatibilidade p/ detectar placa de video, pois tenho uma GeForce GT240 e ao tentar instalar o Ubuntu 11.04 ele não instala em modo gráfico… aí tive q baixar o ALTERNATE, instala tudo certinho… mas não inicia em modo gráfico… o sistema até tenta achar a placa, mas a tela fica toda preta… então sempre q eu preciso atualizar o ubuntu tenho q fazer tudo isso via internet, caso contrário tenho esse tipo de problema e ate agora não achei uma solução, pois queria instalar via CD. Fora isso a versão 11.04 está demais !

Deixe seu comentário

Website