Xubuntu

Categoria: Ubuntu | Palavras-chave: Sem palavras-chave

Primeiro artigo, de uma série, sendo escrito diretamente do Xubuntu, um dos “sabores” do Ubuntu. A diferença entre o Xubuntu e Ubuntu está na interface gráfica que neste caso é o XFCE.

Começando pelo começo. A instalação quase me convenceu que seria mais bonita que a instalação do Ubuntu, mas tirando o papel de parede que sumiu logo em seguida, o instalador me pareceu inacabado, mas totalmente funcional.

Passada a instalação que segue os mesmos passos do Ubuntu, enfrentei o mesmo problema da instalação da rede wireless pelo qual passei no Ubuntu com Unity. Tive que abrir o terminal e instalar manualmente. Sorte que eu sei qual o pacote que preciso instalar.

Não quero apenas botar defeito, este não é o objetivo da série, mas a tela de login também é muito simples e não tem nada de bela.

Depois de logado a interface lembra muito o Gnome 2, sem o painel na parte inferior. O tema padrão é bem limpo e agradável aos olhos. Ainda estou tentando me adaptar aos botões de minimizar, maximizar/restaurar e fechar no lado direito, mas isto não é problema, apenas questão de adaptação.

Um problema pelo qual passei foi descrito e a solução também se encontra no blog do Carlos (Coringão).

Gostei de ver que o programa de mensagens instantâneas padrão é o Pidgin, assim tive um programa a menos para instalar após a instalação do sistema.

O menu principal lembrando de longe o menu do Gnome 2 se demonstrou ser nada produtivo frente as novas gerações de interface como Unity e Gnome Shell, mas o desempenho da interface é muito boa, ideal para computadores mais antigos como este, mesmo este não sofrendo degradação quando usando o Unity ou Gnome Shell.

Fiquem com algumas telas do sistema e em breve trago mais detalhes sobre a utilização do sistema.

Publicado em 11 de novembro de 2011 | 12 Comentários

Ivan Brasil Fuzzer

Ivan Brasil Fuzzer

Faço parte do grupo Tchelinux(http://www.tchelinux.org). O Tchelinux é um grupo de voluntários que trabalha com software livre e ainda acredita que boas coisas podem ser feitas nesta comunidade; desde que saibamos repassar aos que estão iniciando que Software Livre é um aprender e repassar o conhecimento incessante. Sou líder do Ubuntu-BR-RS juntamente com a Marta Vuelma. Tentamos divulgar a distribuição e auxiliar novos usuários por todo o estado do Rio Grande do Sul, as vezes em outros estados também. Sou um amante incondicional de software livre. Vivo apaixonado pelo Ubuntu.

Mais posts do autor (856)

12 Comentários

  1. Andre Almeida disse:

    Acho que o grande lance do Xubuntu é ser mais leve, e é mesmo?

  2. marden disse:

    O Xubuntu é o que poderiamos chamar de “Ubuntu Perfeito”
    Principalmente nesses momentos de transição em que o Gnome muda radicalmente seu modo de interagir com o usuário.

    Eu sempre ouví mesmo antes de enveredar-me pelo mundo Linux: “Linux não dá pau”. Porém não foi o que pude perceber em todas distribuições que conhecí e olha que são muitas; todas tem seus pontos fracos.

    Mas o XFCE principalmente no Xubuntu é o que se pode chamar de “Inquebrável”, é Lindo de olhar após poucas modificações tais como Cairo-Dock e algum Wallpaper de bom gosto.

    O Xubuntu tem o que para mim é como livro de cabeceira, o Synaptic que instala e resolve dependências de aplicativos automáticamente.

    Pelo Xubuntu a Canonical recebe meus cumprimentos.

    Marden Sampaio.

    • Marden,

      Acabei tirando e desistindo so Xubuntu. Para quem usa apenas em um computador, sem outros computadores em uma rede ele até dá para o gasto, mesmo deixando a desejar. Quando o assunto é vários computadores em rede, aí ele se mostra totalmente impossível de se trabalhar.

      Concluí que tem um nicho muito pequeno para ele e provavelmente não voltarei a testá-lo antes da 12.04.

  3. marden disse:

    Observe com mais atenção pois aquí em casa eu navego tranquilo pela rede e acesso as pastas de outro pc que tem Windows 7.

    • Marden,

      Posso não ter me expressado direito. Não quis dizer que não existe a possibilidade de navegar na rede, apenas que é sofrível nele, e não estou falando apenas de samba, estou falando de outros tipos de compartilhamento, incluindo NFS e SFTP.

  4. marden disse:

    Perdoe-me eu entendi:
    aí ele se mostra totalmente impossível de se trabalhar.

    Por falar nisso qual a distribuicao que te atende neste momento?

  5. Tiago disse:

    Olá! Como você configurou a rede wireless no xubuntu. Aqui não consegui. Quais os comandos necessários para se por no terminal? vlw! meu email: jamesmarcenal@gmail.com

  6. Cristiano disse:

    Eu instalei o xfce a partir do pacote xubuntu-desktop, entao nao precisei configurar nada a mais. Acho que o thunar tem limitacoes quando se compara com o file browser do nautilus. Mas a diferenca de desempenho no meu computador (que e’ um pouco velhinho) entre unity/gnome e o xfce e’ gritante. Com firefox+eclipse ja estava quase impossivel de se usar depois do ubuntu 11.04, mas com o xfce ja parece outra coisa. Eu usei o fvwm por muito tempo. E’ muito leve e totalmente configuravel, mas precisa tempo e um pouco de esforco na hora de editar os arquivos textos de configuracao, e ainda mais para encontrar as aplicacoes certas. Neste pacote ja’ me pareceu que as opcoes sao as corretas para se ter um ambiente leve. Nao sei se o problema que tu encontraste esta’ relacionado com a navegacao entre arquivos remotos, mas o que eu fazia antigamente era iniciar o nautilus quando precisava, e matava o processo quando nao precisava mais. Mas concordo que se for precisar fazer isso muitas vezes, vai ser um saco. Tem um pessoal que usa o gigolo para acessar arquivos remotos, mas nunca usei.

    • Cristiano,

      Tenho que voltar a testar o Xubuntu agora na versão 12.04. O Unity já está bem mais leve em relação inclusive a 11.04 e como tenho um notebook bem antigo, tenho a máquina certa para fazer este teste com o Xubuntu.

Deixe seu comentário

Website