Review semanal 05

Um tanto quanto atrasado mas o review semanal está no ar. Devido a problemas nos gravadores de telas tentados durante o final de semana no Ubuntu 12.04 Alpha 1, não exibimos o review semanal no domingo como o esperado e ficamos sem uma previsão para postar o episódio.

O destino foi gente boa conosco e resolveu entregar o notebook Dell Vostro 3450 com Ubuntu pre-instalado no início da semana, permitindo que o review fosse repensado e publicado hoje.

Inicialmente mostro apenas como é a pre-instalação do Ubuntu e no próximo final de semana falarei mais sobre o sistema e o desempenho.

Opencast episódio 6 – Retrospectiva

Ao contrário de todos os outros sites do mundo, nossa retrospectiva é feita no início do ano e não no final. Neste episódio eu(Ivan) e Diego conversamos um pouco sobre o que aconteceu no ano de 2011 no mundo do software livre, e alguns assuntos um pouco fora.

Não temos links nesta postagem, este episódio é apenas um aquecimento para os próximos episódios que teremos este ano, agora com uma equipe fixa para enfim manter a periodicidade de um episódio a cada 15 dias.

Espero que gostem do episódio, até o próximo daqui a 15 dias.

Twitter: @tecnologiaabert

Facebook: http://www.facebook.com/tecnologiaaberta

Google+: Tecnologia Aberta

Youtube: Tecnologia Aberta

E-Mail: opencast@tecnologiaaberta.com.br

Feed do Opencast: http://tecnologiaaberta.com.br/feed/opencast/

iTunes: http://itunes.apple.com/br/podcast/id424732898

Brasero não abre após instalar Unity 5

Se você, como eu, instalou a versão 5 do Unity para testar e teve problemas para abrir o gravador de disco Brasero, a solução é bem simples e passa pela criação de um link para a biblioteca mais nova. O Brasero instalado no Ubuntu 11.10 utiliza a versão 6 da biblioteca, mas no Unity 5 a biblioteca está na versão 9 então abra o terminal pressionando Ctrl+Alt+t e digite o seguinte comando:

sudo ln -s /usr/lib/libunity.so.9 /usr/lib/libunity.so.6

Pronto, agora o gravador de disco Braseiro voltará a abrir normalmente.

Review semanal 04

Links do episódio:

Minecraft

Minecraft é um jogo de aventura, construção e sobrevivência onde os jogadores são livres para fazerem o que bem intender. Os jogos sempre começam em mundos enormes gerados aleatoriamente por milhões de cubos e totalmente destrutíveis onde o jogador pode construir prédios, minerar, cortar árvores e criar objetos necessários para a sobrevivência.

O jogo foi desenvolvido em java, o que permite que possa ser jogado em qualquer plataforma, incluindo nosso Ubuntu. O grande porém é a necessidade da VM da Oracle, não sendo possível jogar utilizando a VM de código aberto OpenJDK.

Antes de qualquer coisa baixe o jogo no site http://minecraft.net

Para conseguirmos jogar, então, precisamos instalar a máquina virtual da Oracle e para isto baixe o script abaixo:

Abra o terminal pressionando Ctrl+Alt+t e digite os seguintes comandos(levando em conta que o script tenha sido baixado na pasta Downloads):

cd Downloads
chmod +x instala-java.sh
sudo apt-get install git
sudo ./instala-java.sh

Siga as instruções no terminal para download e criação dos pacotes .deb e ao final instale o pacote referente a sua arquitetura que no exemplo abaixo é para arquitetura de 64 bits.

sudo dpkg -i sun-java6-jre_6.30-3_all.deb sun-java6-bin_6.30-3_amd64.deb sun-java6-plugin_6.30-3_amd64.deb

Agora vamos a alguns pacotes para que o jogo funcione em sua plenitude. Faça o download da biblioteca abaixo conforme sua arquitetura:

32 bits

http://mirrors.kernel.org/ubuntu/pool/universe/l/lwjgl/liblwjgl-java-jni_2.4.2+dfsg-3_i386.deb

64 bits

http://mirrors.kernel.org/ubuntu/pool/universe/l/lwjgl/liblwjgl-java-jni_2.4.2+dfsg-3_amd64.deb

Extraia o pacote.

32 bits

dpkg -x liblwjgl-java-jni_2.4.2+dfsg-3_i386.deb /tmp/lwjgl

64 bits

dpkg -x liblwjgl-java-jni_2.4.2+dfsg-3_amd64.deb /tmp/lwjgl

Mova a biblioteca para o local onde ela deve estar.

mv /tmp/lwjgl/usr/lib/jni/liblwjgl.so ~/.minecraft/bin/natives

Baixe o Java Monkey Engine no endereço abaixo:

http://code.google.com/p/jmonkeyengine/downloads/detail?name=jME2_0_1-StableDistribution.zip&can=2&q=

Extraia o conteúdo do Java Monkey Engine

unzip jME2_0_1-StableDistribution.zip && cd jME2_0_1-StableDistribution/jME2_0_1-StableDistribution/

Mova as bibliotecas para o local onde elas devem ficar

mv lib/lwjgl/jinput.jar ~/.minecraft/bin/
mv lib/lwjgl/lwjgl.jar ~/.minecraft/bin/
mv lib/lwjgl/lwjgl_util.jar ~/.minecraft/bin/
mv lib/lwjgl/native/linux/lib*.* ~/.minecraft/bin/natives

Agora você pode jogar o Minecraft com tudo o que ele tem a lhe oferecer. É importante lembrar que o jogo não é opensource e muito menos gratuito, salvo se jogado pelo navegador. Os arquivos que disponibilizo no site devem ser usados apenas por quem está pagando pelo direito de usar o jogo.

Para jogar execute o arquivo minecraft.jar que está na pasta .minecraft da sua pasta pessoal. Arquivos e pastas que começam com um ponto são ocultos e podem ser visualizados pressionando a combinação de teclas Ctrl+h com o nautilus aberto.

Flash no Epiphany 3.2

Olá a todos. Meu notebook “morreu” há cerca de 3 meses atrás, e o desktop aqui de casa só passou a ser meu depois que minha mãe comprou um netbook para ela, e bem, o desktop não é lá grandes coisas, tem um Intel Celeron e 2 GB de RAM então com o uso prolongado dos navegadores ele acaba perdendo muito desempenho e para não ter que ficar fechando o tempo todo as janelas dos mesmos, o jeito foi pesquisar por uma alternativa. Lembro então que já havia testado o navegador do Gnome e resolvi instalá-lo e o que vi me agradou bastante, mas ainda havia um porém: o flash não funcionava de maneira alguma. Depois de uns dois dias, eis que encontro a solução. Se já estiver com o flash instalado vá ao passo 2.

Instale o flash:

sudo apt-get install flashplugin-installer

Instale o nspluginwrapper:

sudo apt-get install nspluginwrapper

Depois rode os seguintes comandos:

sudo nspluginwrapper -i /usr/lib/flashplugin-installer/libflashplayer.so
nspluginwrapper -v -a -n -i

Pronto, agora o flash vai estar funcionando perfeitamente. Até a próxima.

DLNA Serviio

Tudo bem, pelo título você pode não ter imaginado o que é este negócio. Para explicar eu vou contar uma pequena história.

Há muito tempo assistindo TV apenas para ver os jogos do meu time, nestas super promoções de início de ano acabei trocando minha televisão por uma mais moderna e maior e acabei voltando a assistir TV novamente, mas isto não foi graças a impressionante grade de programas da TV brasileira, o que me fez voltar a assistir TV foi a possibilidade de acessar o conteúdo do meu computador sem precisar de um pendrive.

Muito bonito mas o Ubuntu não tem um aplicativo instalado para fazer isto, mas uma pequena procura pela internet e eu encontrei o tal DLNA Serviio que me permite compartilhar meus vídeos, fotos e músicas apenas utilizando meu roteador.

Para instalar eu preferi utilizar um PPA e os passos seguem abaixo.

Abra o terminal pressionando Ctrl+Alt+t e digite os seguintes comandos:

sudo apt-add-repository ppa:traxanos/ppa
sudo apt-get update
sudo apt-get install serviio

Veja um pequeno vídeo mostrando esta função direto na TV que tem que suportar o protocolo para que isto seja possível.

Firefox com suporte extendido

A história começou com o Google fazendo o favor de jogar fora o padrão de versionamento e a concorrência teve que correr atrás dos clientes, não corporativo, e fã boys que acharam a brincadeira linda. Mudando de versão a cada mudança de lugar de um botão, as empresas não conseguiram seguir a velocidade para homologar sites e sistemas web para as novas versões dos navegadores, muito menos arrumar algum tempo para migrar centenas de computadores para uma nova versão de navegador. Este foi o motivo que fez com que 10 em 10 responsáveis por grandes parques de computadores odiassem o Google(meu caso) e outros navegadores.

Embora a versão 3.6 esteja sendo mantida com atualizações de segurança(isto tem me salvado em partes), o navegador já está bem atrasado em novas características também. Uma versão voltada para o mercado corporativo havia sido prometida mas não existia uma data para o lançamento. Agora temos esta data e é dia 31 deste mês.

As principais características da versão serão:

  • Nova versão a cada 42 semanas
  • Suporte superior a 1 ano

O lançamento será feito juntamente com a nova versão “normal” do Firefox e a próxima versão será lançada no dia 20/11 mas possibilitando a mudança até fevereiro do próximo ano.

Desta maneira podemos ter novamente um navegador para ser “amado” dentro das empresas, já que para o usuário doméstico estas mudanças de versão não fazem muita diferença.

Disponível edição n.33 da Revista Espírito Livre!

Revista Espírito Livre - Ed. #033 - Dezembro 2011

Revista Espírito Livre – Ed. #033 – Dezembro 2011

Revista Espírito Livre - Ed. n #033 - Dezembro 2011
Revista Espírito Livre - Ed. n #033 - Dezembro 2011

Mais um ano termina. Desejos e expectativas nos movem em direção a novo ano. O ano de 2012 surge em meio a tempos nebulosos para certos assuntos ligados a tecnologia e software livre. Para muitos outros 2012 promete. Mas o que exatamente ele promete? Será que será o “Ano do GNU/Linux no desktop”? Para muitos, o ano do GNU/Linux no desktop já veio e já se foi. Afinal para muitos ele já ocupa lugar privilegiado no desktop. Outros esperam que ele fique ainda nais fácil e intuitivo. Cada um a seu tempo.

Em paralelo, convido os leitores a buscarem o manual de suas TVs. Neste fim de ano, muita gente adquiriu novos televisores, e vários modelos disponíveis no mercado “abrem” os populares tipos de arquivos que costumamos usar em nossos computadores: arquivos de áudio, foto e vídeo. O convite para verificarem os seus respectivos manuais tem um motivo simples, diga-se passagem, mas que merece ser mencionado: é bem provável que sua tv esteja equipada com software livre e você nem sabe. Então vale a pena dar uma olhada. Se já perdeu o manual, busque-o na web, isto não será uma tarefa difícil.

Esta dica sobre o “software” que roda em seu televisor serve inclusive para ser lançada diante dos incrédulos que insistem em dizer que software livre é coisa de amador. Talvez 2012 seja este, o ano do GNU/Linux no televisor, ou em outro dispositivo qualquer.

Quem sabe será o ano dos “embarcados”, ou ainda da telefonia móvel, movida a código aberto. E porque falo isso? Muitos já consideram que, usar o GNU/Linux no desktop está cada vez mais “mole”. O “tempo das complicações” já passou e quem teve que passar grande parte da instalação de sua distribuição preferida configurando todos os dispositivos “na unha” é que sabe… Diga-se de passagem, o Linux Mint que cumpre com respeito seu propósito de entregar ao usuário final uma distribuição bonita, bem polida, com visual profissional e acima de tudo, fácil. Clement Lefebvre, este é o cara que conseguiu entender isso e moldar uma solução que atendesse aos anseios do público leigo. Fica aí a dica.

Mas e 2012? Como será? O que este novo ano nos espera e o que podemos esperar dele? Vários de nossos colaboradores tem suas próprias opiniões a respeito e merecem total atenção pois nos apresentam o que pode ser, o futuro.

Além destes, algumas séries de artigos têm continuidade nesta edição, como é o caso da série sobre Java 7, Zabbix e Certificações LPI. Os colaboradores envolvidos enviaram com bastante primor seus materiais e a todos estes o nosso muito obrigado.

A edição especial do I Fórum da Revista Espírito Livre está a caminho e em breve estará disponível para download. Assim como mencionei na edição passada, já estão sendo estudadas alternativas para realizarmos o evento em outras localidades neste ano de 2012. Então, se tem interesse em levar o evento para sua cidade, entre em contato! Um dos objetivos do evento é justamente este: aproximar leitores dos redatores e colaboradores da Revista Espírito Livre.

Continuamos por aqui, agora adentrando em 2012. Com muitos desejos e expectativas.

Um forte abraço a todos vocês e nos vemos por aí.

Desabilitar sugestão de aplicativos

“para que serve essa sugestão de aplicativos? se eu quero eu abro a central de programas”

Eu já ouvi estas frases diversas vezes, mas para mim nunca atrapalhou ao ponto de pensar desta maneira, mas se para você a sugestão de programas incomoda, nós temos a solução para os seus problemas.

Abra a Central de Programas do Ubuntu e procure por “editor dconf” e instale o programa.

Pressione e solte a tecla Super(também conhecida como Windows) e digite dconf e dê enter.

No programa navegue até a chave desktop>unity>lenses>applications e desmarque a opção display-available-apps. A alteração será imediata.

Mais computadores com Ubuntu disponíveis no mercado brasileiro

Uma boa notícia postada por Adilson Oliveira é que a Dell está comercializando novos modelos com Ubuntu pré-instalado no Brasil pelo site e acessível a todos.

Ao contrário do último modelo, desta vez temos computadores com boas configurações, são eles três modelos de notebooks e um desktop.

O desktop Vostro 260 Slim vem com processador Intel Core i3-2120 (3.3GHz, 3Mb Cache, 4 Threads), Monitor Dell D1901N de 18,5 pol. mas pode ser ecolhido monitor de 21,5 pol, Disco Rígido 320GB, SATA (7200 RPM), Memória 4GB, Dual Channel DDR3, 1333MHz (2x2Gb).

O modelo de notebook mais simples é o Vostro 14 e as configurações são bem modestas. Processador Intel® Celeron™ B800 (1.5GHz, 2Mb Cache, 2 Threads), Memória 2GB, Single Channel DDR3, 1333MHz (1x2Gb), Tela True Life WLED (720p) de 14.1 polegadas, Widescreen com Webcam de 1.3MP, Disco Rígido 320GB, SATA (5400 RPM) e Dell Wireless™ 1502 Half Mini Card (802.11n).

O Vostro 3450 vem com Processador Intel® Core™i3-2330M (2.2GHz, 3Mb Cache, 4 Threads), Memória 4GB, Dual Channel DDR3, 1333MHz (2x2Gb), Disco Rígido SATA 500GB 7200 RPM, Leitor de Impressões Digitais, Tela LED de Alta Definição de 14.0″ (1366×768) – Anti-Reflexo e Dell Wireless 1702 802.11b/g/n/BT3.0 Combo.

O Vostro 3550 vem com Processador Intel® Core™i3-2330M (2.2GHz, 3Mb Cache, 4 Threads), Memória 4GB, Dual Channel DDR3, 1333MHz (2x2Gb), Disco Rígido SATA 500GB 7200 RPM, Leitor de Impressões Digitais, Tela LED de Alta Definição de 15.6″ (1366×768) – Anti-Reflexo e Dell Wireless 1702 802.11b/g/n/BT3.0 Combo.

Já estamos bem melhor servidos em relação a computadores com Ubuntu pré-instalado, mas esperamos que os Core i5 e Core i7 também sejam agraciados com nosso querido Ubuntu.

Não encontrei detalhes sobre qual a versão do Ubuntu vem instalada.