Um dia de produção no Gnome-Shell

Categoria: Ubuntu | Palavras-chave: , , , ,

Quando nos acostumamos com uma interface, inevitavelmente nos tornamos mais produtivos nela. Quando mudei para o Unity pensei que perderia produtividade até me acostumar com a nova interface, no entanto, a perda de produtividade foi muito menor do que o imaginado e em questão de poucas horas já estava até mais produtivo que no antigo e muito conhecido Gnome-panel.

Durante este tempo utilizei muito pouco o Gnome-Shell e nunca usei durante um dia comum de trabalho. Neste artigo vou falar um pouco sobre esta experiência e o quanto isto afetou minha produtividade.

Queiro deixar bem claro que estou usando o Gnome-Shell no Ubuntu 12.04 Beta e vou desconsiderar alguns crashes que podem acontecer durante o uso, eu assumi esta possibilidade de falhas e não vou considerá-la como ponto de comparação entre as interfaces existentes, o desempenho sim eu irei comparar.

Como estou usando o Ubuntu 12.04 Beta, é impossível não fazer comparações entre funcionalidades ou falta delas. A primeira coisa que me desanimou foi o tratamento com multi-monitor, na próxima versão do Ubuntu(12.04) estes tratamento avançou espetacularmente e ficou difícil para o Gnome-Shell chegar perto. A função existe e funciona, mas o tratamento não é da mesma qualidade.

Algumas funcionalidades que já gostava no lançamento do Gnome-Shell continuam boas e uma destas funcionalidades é a área de notificações que eu gostaria muito que outras interfaces copiassem, na cara dura mesmo. Gosto muito da ideia de já poder interagir com a própria notificação de mensagem de um contato. O uso constante mostrou total ineficiência da área de notificação do Gnome-Shell, mudei totalmente de ideia.

O desempenho, quando comparado com o Unity, não é o forte do Gnome-Shell, mas também não chega a prejudicar, consigo fazer minhas tarefas sem maiores problemas.

Vejo que o menu global do Unity foi uma escolha acertada, uso um notebook de 14 ” e este espaço usado desnecessariamente pelos menus e barra de títulos me faz perder grande parte da área visível do meu monitor.

Uma função muito boa do Unity é poder procurar e acessar arquivos pelo Dash, esta função, sem plugins, não consegui encontrar no Gnome-Shell, o que fez com que eu perdesse muito tempo abrindo o nautilus e procurando os arquivos que precisava abrir.

Os pontos que fizeram alguma diferença no meu trabalho foram estes que relacionei e no final do dia cheguei a conclusão de que o Unity está muito mais preparado para o uso corporativo do que o Gnome-Shell. Para usuários domésticos as firulas visuais realmente são agradáveis, mas não ajudam o sistema na hora de ser produtivo, na verdade podem até atrapalhar um pouco.

Eu continuarei usando o Unity tando em casa quanto no trabalho.

OBS: Imagem inicial retirada do site Lifehacker

Publicado em 2 de abril de 2012 | 53 Comentários

Ivan Brasil Fuzzer

Ivan Brasil Fuzzer

Faço parte do grupo Tchelinux(http://www.tchelinux.org). O Tchelinux é um grupo de voluntários que trabalha com software livre e ainda acredita que boas coisas podem ser feitas nesta comunidade; desde que saibamos repassar aos que estão iniciando que Software Livre é um aprender e repassar o conhecimento incessante. Sou líder do Ubuntu-BR-RS juntamente com a Marta Vuelma. Tentamos divulgar a distribuição e auxiliar novos usuários por todo o estado do Rio Grande do Sul, as vezes em outros estados também. Sou um amante incondicional de software livre. Vivo apaixonado pelo Ubuntu.

Mais posts do autor (856)

53 Comentários

  1. Yury disse:

    Bom dia,

    O Unity para você é mais produtivo, mas, para mim é o contrário. Não consigo me acostumar a sua interface. O menu global foi genial, no entanto o Dash (icone do windows rsrs), para mim é horrível e totalmente desorganizado. O gnome-shell é mais fácil de usar e MUITO mais produtivo para mim.

    “O uso constante mostrou total ineficiência da área de notificação do Gnome-Shell, mudei totalmente de ideia.”

    Não entendi. As notificações ficam escondidas, para que você não se distraia enquanto realiza suas tarefas. Assim que termina-las pode ver essas mesmas mensagens.

    • Yury,

      Ainda bem que temos as duas, para que todos possamos ser produtivos. Eu achava o mesmo sobre a área de notificação antes de usar em produção mesmo, no trabalho. Muita informação que eu precisava que fosse notificada ficou ali perdida e vista algumas horas depois do ideal. Por este motivo mudei meu “parecer” sobre a área de notificação.

  2. Andre Almeida disse:

    Não tenho muito a declarar a não ser discordar totalmente. =)

    O Unity pra mim é impossível de usar, as coisas me parecem todas tortas.
    E no Gnome-shell as coisas me parecem simplesmente funcionar.

    Então, não adianta nem argumentar.

    • Andre,

      Uma coisa é verdade absoluta, o que serve para você não serve para mim, isso desde os tempos de faculdade. E como disse no meu comentário anterior, ainda bem que temos as duas opções para que nós dois continuemos produtivos :D

  3. Yury disse:

    Ivan,

    Consertesa cada um tem seus gostos e preferencias. O bom do Linux é isso, a diversidade.

    O entanto, não consigo me acostumar ao Unity, o meu único problema com ele é o Dash, no resto está ótimo, espero que a Canonical melhore ele nas próximas versões do Ubuntu.

    • Já deu uma olhada no 12.04? Tem muitas mudanças e melhoras no Dash. A principal é que não tem mais a “tela inicial” com os ícones grandes, agora são mostrados os programas usados recentemente, assim como os arquivos.

  4. Marco Aurelio disse:

    O gnome shell está muito legal por estar mais simples, gostei de trabalhar com ele em produçao na empresa. O Unity tem uma quantidade grande de atalhos e voce tem que sempre utiliza-los… tem a tecla super que pressionada voce em uma ajuda… mas no Shell esses atalhos sao em menor numero, as telas que abrem sempre para baixo ficou mais facil tambem, a procura por programas sem utilizar a pesquisa tambem ficou mais facil que o Unity… eu UTILIZO OS DOIS… UNITY EM CASA E SHELL NO TRABALHO… eu nao tenho problemas com a area de notificacao, e ate acho as notificacoes do ubuntu mais irritantes, pq, elas aparecem e ficam por cima e nao saem com um clique… vc tem q esperar elas sairem, e se tiver uma conversa confidencial e alguem estiver ao seu lado… FERROU… feche a tampa do notebook ou desligue o monitor do desktop rsrsrsrsr….

  5. Tenho a impressão de que a maioria dos que reclamam do Unity são programadores e usuários avançados.

    Eu mudei pro LINUX Ubuntu e passei por apenas 1 mês na interface antiga, gostei muito do Unity e não quero que ele vá embora por conta da má adaptação de alguns usuários.

    Lembrando que quando conheci o Ubuntu, o seu lema era “Linux para humanos” para justamente alcançar usuários simples como eu.

  6. oldrockmustard disse:

    oncordo com o Magnun. O lema do Ubuntu sempre foi o usuário final, doméstico, que queria facilidade para instalar codecs e programas num sistema estável mas que lembra-se o windows para facilitar a adptação. A questão que como era com o gnome se adptou ao ambiente corporativo muito mais que o kde (que é o que eu uso ) e muitas empresas adotaram o ubuntu. A questão agora é consiliar os dois publicos.

    • Só tira essa parte do “lembra-se o windows”. Isto não é nem de longe a ideia do Ubuntu ou da maioria das distribuições Linux do mercado. Todos que foram para o lado de parecer com o Windows quebraram a cara até hoje.

  7. Sidney disse:

    Também uso o Unity no trabalho e no lazer, aliás, desde seu lançamento para desktop, na versão 11.04.

    É muito prático e direto. Hoje, quando uso o 10.04 de minha esposa fico perdido procurando em hierarquias de menus o que no unity eu apenas ‘peço’.

    Obs: sou programador há mais de 10 anos. Então essa ideia de que programador gosta de GShell e similares não é válida pelo meno no meu caso.

    T+

  8. Realmente “lembra-se o windows” não faz parte da intenção do Ubuntu, eles tem menu Iniciar com barras tradicionais, nós temos o inovador Unity.

    É muito mais fácil achar os programas, eu escrevo uma palavra tema e vem os programas relacionados. Visualmente se distancia de qualquer coisa que a janela tenha lançado. Sou favorável a novas mudanças conceituais e profundas, sair do comodismo, desde que seja prático.

    O Unity é pratico e a adaptação foi prazerosa.

  9. Olnei Araujo disse:

    Não me acostumo com outra interface, que não o Unity. Tentei usar o GS e não me adaptei nele.

  10. Saulo disse:

    Não consegui me acostumar com o Unity. Já tentei diversas vezes. Já passei um mês inteiro no Unity. isso antes de testar o GS3. Depois que testei o GS3 foi tranquilo para me acostumar. De qualquer forma, ainda prefiro o GS2. Não é questão de não aceitar mudanças, mas apenas uma questão de gosto. Atualmente estou com o Gnome Shell 3 e estou semi-feliz com ele.

  11. Rafael disse:

    Olá.
    Eu uso o Unity, mas vira-e-mexe me vejo “namorando” o KDE.
    Realmente o Unity é muito bom, mas tem coisas nele que me incomodam, mas tem outras que me ajudam e facilitam minha vida! Eu odeio usar o mouse, e com o unity é só digitar que o que procuro está lá! Mto legal. Com o KDE eu consigo a mesma coisa, mas a “cara” do W$ me incomoda.. rsrsrsrs!
    Vamos ver se com o 12.04 os bugs diminuem e a estabilidade aumente!

    Abs

  12. Junior disse:

    Legal pela opnião, mas esse post carece de mais detalhes, inclusive tecnicos ou seja acabou ficando apenas no campo da opnião.

    • Junior,

      Entendo que poderia querer dados técnicos, mas este foi um texto bem ao nível dos que criticam o Unity, bem superficial e só contanto a experiência sem se basear em dados mais palpáveis. Não que esta seja a melhor forma, quem sabe uma analise melhor saia depois que eu tiver a versão final do Unity no 12.04 e testando com o CD oficial do projeto Gnome, que já está na lista de download para futura analise.

  13. […] Um usuário satisfeito do Unity comenta sua experiência com o Gnome-Shell 2 de abril de 2012 admin Sem comentários var sourceId = "23500579";var pasta = "542";var pais = "BR";var figura = "300×250";var textoLink = ""; Via ubuntero.com.br: […]

  14. Adriano disse:

    Eu tentei me acostumar com o Unity, tentei mesmo mas não consegui, até que experimentei o Gnome Shell, eu achei muito mais fácil, muito mesmo.
    Hoje uso ubuntu 11.10 com gnome-shell e estou muito feliz com ele.

  15. Thiago disse:

    Eu uso o unity na versão 11.10, e gosto muito, porém, de início, quem está acostumado com o windows ou com outra interface pode ter dificuldade.
    Uma outra interface que eu acho bem interessante, é a Cinnamon.
    Mas a interface mais bonita que eu acho, e melhor acabada esteticamente falando, é a gnome-shell.

    Embora eu use o unity, eu não posso negar que o gnome-shell está muito mais bonita.
    No unity, a aparência estática é muito bonita, porém quando vai abrir um menu, mesmo que seja no próprio painel, as cores não combinam com a transparência e aparência do painel.
    Fica um tom opaco, quadradão e feio .-.

    Espero que corrijam isso na versão 12.10 =]

  16. Jow disse:

    Eu já usei todos WM por aí… mas uma vez q utilizei o Enlightenment 17.. nunca mais voltei pros outros.. depois de configurado, é uma produtividade imensa… tipo:

    – vc pode navegar entre os ambientes virtuais pelo mouse (encosta o mouse no centro da borda superior/inferior/lateral e ja vai pra o outro ambiente)
    – vc seleciona uma janela pelo mouse, mas nao passando pela janela e sim pelo seu titulo..
    – ele tem como modulo uma funçao similar ao Unity para lançar aplicativos, procurar configuraçoes, arquivos….
    – totalmente configuravel e bonito por si só…

    vale a pena testar.

  17. Uso o Unity em casa somente (por enquanto) e estou gostando bastante.

    Tem um ponto que eu não gostei, e que ainda me incomoda bastante, que é não poder colocar na barra da parte de cima da tela os antigos indicadores, como temperatura de processadores, do sistema (carga do processador, memória, rede, disco etc)… sei que a idéia do Unity é de ser mais limpo, mas isso me faz uma falta rsrsrs…

    Só não sei se já tem alguma gambiarra pra colocar esses indicadores lá a força, tem um tempo que não pesquiso mais sobre isso… quando eu vi não tinha nada :(

    • Marcio,

      Esta não é a ideia do Unity, no gnome-panel tinhamos applets para usar que resolviam o problema. Existem alguns aplicativos que fazem o que você quer, é só dar uma procurada que vai achar até que com uma certa facilidade.

  18. Pois é Ivan, eu testei vários, mas todos são bem toscos na minha opinião, como por exemplo aqueles screenlets, que são horríveis rsrsrs… não achei nenhum que tenha a mesma praticidade e que seja discreto como o applet antigo. O que eu uso hoje para isso é o Htop sendo acessado via terminal dentro do Guake.

  19. Zer0 disse:

    Realmente é tudo uma questão de gosto mesmo. Eu só trocaria o gnome-shell pelo i3wm (se ele rodasse o eclipse 100%). Eu acho bastante prático o gnome-shell, quase não uso mouse, apenas aperto a tecla com as janelas e digito o nome da aplicação que eu quero e acabou.
    Além disso eu instalei uma extenção chamada window navigator, ele enumera as janelas abertas e você pode acessá-la rapidamente usando alt+n (n é o número da janela). Tudo muito fácil e intuitivo.

    Já minha experiência com o Unity não foi agradável, eu tive a impressão de ser uma coisa mal acabada, não sei ao certo, uso muito o mouse nele.

    Resumindo, é uma questão de gosto mesmo.

  20. Zer0 disse:

    Ah, já ia me esquecendo, quanto a barra que todos falam que é desnecessária, existe um movimento do pessoal do gnome, que já pode ser reparado na nova versão, que é não utilizar mais barras de menus, a idéia é ficar como o chrome, um botão, ou coisa do tipo.

  21. Tonismar disse:

    Ainda acho que o melhor ambiente é aquele que vc se sente bem. Então trata-se de uma escolha pessoal. Exceto pelo desempenho, é impossível agradar todos. O que acontece muitas vezes é que custamos ou teimamos a perceber qual é o melhor para nós mesmos. Tempos atrás achei o G3 bem mais produtivo do que o Unity porém, hoje já acho o inverso. Briguei muito com o Unity (ainda brigo), mas acredito que ele esteja no caminho certo.
    Só discordo com você quanto ao global menu e justifico dando um exemplo: Muitas vezes estou conversando em uma janela (não maximizada) de bate-papo com alguém e preciso rever o histórico dessa conversa (que está no menu dessa janela). No meu monitor de 22′ preciso ir até a extremidade superior dele com o mouse para acessar o menu de uma janela que, na maioria das vezes, está grudada na parte de baixo do meu desktop. Se este menu estive na janela acessaria com um “percursso” de mouse, muito menor.
    Outra coisa que percebo (no 11.10 ainda) é o delay do launch, às vezes ele demora mais do que o normal para aparecer. Agora a usabilidade entre o G3 e o Unity, o Unity está melhor, na minha opinião.

    • Tonismar,

      Concordo que o menu global precisa de uma pequena alteração, ficar disponível apenas para janelas maximizadas, as outra poderiam ficar com o menu junto a janela, isto melhoraria muito a usabilidade.
      O desempenho melhorou muito na 12.04, provavelmente você notará isto.

  22. Maurício disse:

    Depois que me adaptei com o Unity, não vejo nenhuma outra interface capaz de me fazer ser mais produtivo. Tá tudo ali! É só clicar no botão “super”, digitar o que deseja e pronto. Algumas vezes o cara dá uma procurada aqui, outra ali, mas é tudo muito rápido. Gosto da idéia das lens e do visual, já que a tela ficou “maior” sem aquelas barras desnecessárias. O que eu não curto no Unity é o fato de não ser possível personalizá-lo como era possível antes de sua entrada no Ubuntu, mas desde o início já vinha sendo dito que essa nova interface iria demorar um pouco para atingir uma certa maturidade. Pelo que estou lendo, a versão 12.04 do Ubuntu já traz muitas melhorias no Unity. Estou ansioso para testar o HUD e as atualizações dos novos aplicativos.

  23. Valtoir disse:

    Márcio,

    eu uso o psensor, é bem discreto e tem notificador para limite de temperaturas. Marco a opção “hide window on startup” das opções de preferências, e a opção “activate desktop notifications” para cada sensor, em “sensor preferences”.

  24. kleberson disse:

    Não me entenda mal, mas seu ponto de vistas está totalmente sem fundamento, pra começo de conversa 1 dia ou 2 de uso não vão te causar bom impressão em ambiente algum, mesmo porque tu estavas acostumado com a outra interface. Mudança nunca são bem vindas pelo cérebro. Se tu tentares usar o shell ou kde ou qualquer outra coisa por uma semana ou duas, posso até achar que tu tem fundamento para comparar, acho unity bem interessante, mas não gosta de seu modelo de desenvolvimento pseudo-aberto, e como de costume canonical só olha pro seu umbigo.

  25. “Só discordo com você quanto ao global menu e justifico dando um exemplo: Muitas vezes estou conversando em uma janela (não maximizada) de bate-papo com alguém e preciso rever o histórico dessa conversa (que está no menu dessa janela).” – Tonismar

    Eu vi uma vez uma imagem que mostrava o menu das janelas agrupados em lista vertical quando clicado ao invés do tradicional horinzontal maximizado, eu gostei da ideia.

  26. Bom, compreendendo que você utilizou o Gnome Shell no Ubuntu dá para crer quando você diz que não há diferença de desempenho quanto ao Unity. Mas se utilizasse em uma distribuição que já vem com o GNOME 3 como padrão, no caso o Debian, veria o que é diferença.
    Você reclama da falta de possibilidade do GNOME 3 em buscar um arquivo a partir do próprio dash, sem uso de plugins. Bom, se você tiver configurado direito as Preferências de indexação e tivesse deixado essa indexação ocorrer teria visto que ela é bem funcional e prática. Gostei disso tanto quanto a ideia do HURD no Ubuntu.
    Quanto à possibilidade de multi-monitores, não opinarei pois é algo que não utilizo. Não me prenderia a isso.
    Bom, também já utilizei a maioria das WM, cada uma tem sua peculiaridade e particuladide. Eu aprovo o GNOME Shell. Eu o utilizarei em meu dia a dia.

    • Lex,

      Aí está um bom ponto para o Unity, não precisei configurar indexador nenhum. Ainda pretendo usar o Shell em uma distribuição que tenha ele como padrão, mas em produção dificilmente voltarei a fazer.

  27. Ian Liu disse:

    Eu acho que o maior problema do Gnome Shell é a área de notificação. Não há nenhuma dica visual de que alguma coisa aconteceu (por exemplo uma mensagem do empathy) após a tela de aviso sumir.
    No ubuntu o ícone do mensageiro fica aceso.
    Isto é importante para mim porque eu gosto de terminar o que eu estou fazendo (ler um parágrafo, terminar uma linha de código, etc) para depois responder ao mensageiro. Mas até lá o Gnome Shell já escondeu o aviso.

  28. Dennis A. disse:

    Eu gostei muito das ‘firulas visuais’ no Gnome Shell, acho que isso falta um pouco no Unity e provavelmente deve ser implementado em próximas versões, quando derem mais atenção ao visual.

    Usei Gnome Shell em vários momento, inclusive em um deles durante cerca de 2 semanas e posso dizer que o Unity ainda é muito superior, principalmente para quem usa notebook. Ele aproveita muito melhor a tela que tu tem.

    Acho que o Gnome Shell tem uma grande falha, que é a barra de notificações em baixo. Uma interface inteligente usa o menor número de cantos possível, como o Unity consegue fazer. O Unity, centralizando quase tudo em uma só barra no superior torna tudo muito mais simples.

    Tem vários outras questões a serem levadas em consideração, não da para fazer uma análise hiper profunda, porque é muita questão de gosto mesmo.

  29. Ivan, muito bom esse System Load Indicator! Era exatamente o que eu queria, idêntico ao applet do Gnome 2. Obrigado pela dica!

    Valtoir, testei o psensor, é bem legal mesmo, mas vou ficar com o System Load Indicator, pra manter o “padrão” antigo do Gnome. Obrigado pela dica também!

  30. É como eu digo, todas as falhas apontadas por vocês são subjetivas ao gosto do usuário, ou seja, acabam não sendo falhas e sim estilos de utilização.
    Falam em um Unity ser um marco divisório nos gerenciadores de janelas quando, na verdade, conceitualmente, ele é um subproduto do próprio GNOME Shell, desenvolvido através do financiamento privado à própria comunidade mas sem o controle da mesma.
    Mas é claro, assim como o Unity, o GNOME Shell ainda está verde e ainda teremos muitas mudanças em ambos. A diferença é que as opiniões da comunidade serão ouvidas com maior atenção pelo projeto GNOME do que pela empresa Canonical.
    Hoje estou baixando o Live do Gnome para testar em casa durante o feriado. Em produção não volto a usar tão sedo como já disse, mas estou sempre dando chances para novidades, não sou a pessoa resistente a mudança como foi falando anteriormente.

    • Lex,

      As mesmas “falhas” subjetivas foram e ainda são apontadas por quem não gosta do Unity. Quando ao Unity ser um subproduto do Gnome, sim ele é, assim como o Gnome-Shell que também é um subproduto. Dizer que a comunidade vai ser mais ouvida no Gnome é bem controverso, afinal de contas, foi exatamente porque o Gnome não ouve a comunidade que surgiu a necessidade de se criar algo diferente, os desenvolvedores do Gnome sempre foram intransigentes.
      Se não foi passada a ideia, quero reforçar agora então. Não falei que o Gnome-Shell é ruim, apenas que para produção há problemas pontuais que o afastam de quem precisa de produtividade e não de beleza.

  31. A comunidade do GNOME foi intransigente aos interesses de uma empresa como a Canonical, diga-se de passagem.
    E problemas pontuais são exatamente isso, pontuais. Tenho certeza que, tanto no GNOME como no Unity, as pequenas falhas serão corrigidas.
    A ideia do HUD é algo que gostaria de ver implementada no GNOME Shell mas, até onde testei, não está funcionando como eles prometem. Mas quando estiver 100% será algo muito útil.
    Também não estou desmerecendo o Unity, só estou dizendo que o GNOME Shell é o projeto verdadeiramente comunitário e independente de interesses corporativos.

  32. Yury disse:

    Por incrível que parece, tive que voltar para o Unity. Pois o Gnome-Shell não tem a opção de trocar entre as janelas pelo teclado. No Unity basta teclar as teclas “windows” + o número da janela. Ex. “windows” + 1.
    Como vou ter que trabalhar com muitas janelas este mês e os que veem por aí, tive que largar o Gnome-Shell. No entanto, pelo quesito belesa e funcionalidade ainda prefiro ele. O Unity só é bom pelos atalhos de teclado.
    Espero que nas próximas versões o Gnome-Shell ganhe esta funcionalidade.

    Yury

    • Yury,

      Não acho incrível voltar ao Unity, ele é realmente muito mais funcional, a beleza, infelizmente, ainda é maior no Shell. Para para pensar melhor, se as funcionalidades do Shell fossem maiores, você ainda estava nele e não tinha partido para o Unity exatamente por funcionalidades.

  33. Yury disse:

    Ivan Brasil Fuzzer,

    O Unity é cheio de funcionalidades realmente, só não consigo me acostumar ao Dash(Menu), acho que ficou muito misturado as coisas, os Aplicativos para fazer downloads e os Mais Usados deveriam ser retirados, pois não precisa. Fora isto ele é perfeito, só vim descobrir na hora do sufoco :)

    Yury

  34. “O Unity é cheio de funcionalidades realmente…”
    Yuri, você está usando um notebook, suponho. Provavelmente seu notebook não deve ter uma tecla de função Fn e a tecla de expansão de telas (geralmente uma das Fx – F1 a F12). Eu extendo, clone ou divido a tela em um data-show ou segundo monitor utilizando a tecla Fn+F1 no GNOME Shell. Provavelmente você só precisaria configurar as teclas corretas no seu.
    Com relação às funcionalidades do Unity, tirando os aplicativos gráficos de configuração (que inclusive poderiam até ser utilizados em qualquer outra distribuição com GNOME e Debian-like) e o HUD, todas as demais fazem parte do GNOME Shell. Para um usuário final e iniciante, claro, o Ubuntu sempre será mais atrativo, principalmente os empurradores de mouse.

  35. Yury disse:

    Lex Aleksandre,

    Estou usando um computador, não tenho notebook. Essa funcionalidade que você me passou também não conheço. Eu queria que o Gnome-Shell tivesse a opção de trocar entre as janelas pelo teclado, pois é muito mais rápido e produtivo do que com o mouse. Por enquanto estou usando o Unity por esse motivo.

    yuryrodrigues

  36. Me desculpa, Yuri, entendi mal seu problema. Bom, mas trocar entre janelas ou aplicativos no Gnome Shell ou em qualquer outro gerenciador de janelas (se não me engano, até no MS Janelas) é através do ALT+TAB. Simples assim!

  37. Yury disse:

    Lex Aleksandre,

    Muitos SOs utilizam o ALT+TAB, no entanto eu reparei que ele é muito lento para se utilizar na troca entre janelas. E essa lentidão no final do dia da um baixo rendimento de produção. O sistema de troca de janelas do Unity é mais rápido e da um melhor rendimento. Por isso troquei o Gnome-Shell pelo o Unity.
    Espero que o pessoal do Gnome adicionem esta belíssima funcionalidade. Alguém sabe onde posso mandar sugestões para eles :) ?

    yuryrodrigues

  38. Leandro Simões disse:

    Eu já tenho um opinião contrária. Acho o ambiente do Gnome shell muito mais produtivo que o ambiente Unity.
    O Gnome shell foca as atividades somente no que é importante e todo resto é feito com notificações rápidas e minimalistas, diferente do Unity que as notificações podem atrapalhar o foco na atividade e são mais demoradas, o simples passar de mouse em cima da notificação reinicia o tempo de exibição da mesma, deixando-a lá por mais tempo.

    Há um tempo atrás passei a usar dois monitores para aumentar a produtividade, porém com o uso do Gnome shell raramente utilizo esse artifício, consigo trabalhar muito bem num monitor de 14″.

    Mas tudo depende do tipo de trabalho que o usuário está realizando, como meu foco é desenvolvimento para Android o Gnome shell me atende muito bem, deixo o Eclipse e o Emulador em workspaces diferentes e se precisar consultar algo na internet abro uma 3ª workspace. Porém para quem precisa de múltiplas janelas acredito que o Unity seja a melhor opção.

  39. Cleiton disse:

    Onde vc achou o plugin da busca de arquivos direto no shell?

Deixe seu comentário

Website