Vídeocast #22 – Xubuntu 12.10

Categoria: Ubuntu, VídeoCast | Palavras-chave: , , , ,

Logo Xubuntu
Mais um review muito esperado segundo os comentários nas redes sociais durante a semana. Desta vez falo um pouco sobre o Xubuntu 12.10.
A grande promessa do sistema é ser mais leve que os “concorrentes” e o sistema cumpre com o prometido, ele realmente é mais leve e em geral bem responsivo. Não testei em computadores mais antigos, o teste foi feito no mesmo computador que os últimos reviews, um Intel Core i3 com 4 GB de memória e VGA Intel.

Espero não perder amigos com o que falo neste review :P

Assistir no Youtube

Publicado em 10 de novembro de 2012 | 9 Comentários

Ivan Brasil Fuzzer

Ivan Brasil Fuzzer

Faço parte do grupo Tchelinux(http://www.tchelinux.org). O Tchelinux é um grupo de voluntários que trabalha com software livre e ainda acredita que boas coisas podem ser feitas nesta comunidade; desde que saibamos repassar aos que estão iniciando que Software Livre é um aprender e repassar o conhecimento incessante. Sou líder do Ubuntu-BR-RS juntamente com a Marta Vuelma. Tentamos divulgar a distribuição e auxiliar novos usuários por todo o estado do Rio Grande do Sul, as vezes em outros estados também. Sou um amante incondicional de software livre. Vivo apaixonado pelo Ubuntu.

Mais posts do autor (818)

9 Comentários

  1. xGrind disse:

    O Xubuntu vem com o Abiword e Gnumeric, então também tem planilha eletrônica.
    O Gmusicbrowser, foi feito pra ser simples, leve e capaz de carregar uma lista enorme de músicas, sem pesar no sistema, como acontece com o Exaile, que vinha por padrão.
    Você disse que o Xubuntu não tem acessibilidade, que hoje os ambientes são diferentes. Bom, não é só porque o Unity tem esse novo sistema HUD, que todos os outros ambientes deverão ter também.
    Tem gente que prefere Lxde, outros Fluxbox, Xmonad e por aí vai. Acho que se for deixar o Xubuntu com esses HUD e tal, nem precisariam criá-lo, já que todos os sabores *buntu, seriam iguais.
    Esse é o legal de ter vários sabores: Kubuntu, Lubuntu, Xubuntu, Fluxubuntu (que não existe mais).
    Eu comecei a usar Linux com o Ubuntu 9.04, dai quando saiu o 9.10, eu testei o Xubuntu e não larguei mais. Gosto dele, justamente por ser simples, ainda mais hoje com esse Unity, que pra mim não é nada fácil como dizem.

    • De qualquer forma, o Gnumeric é bem limitado, não me atendeu no Kubuntu e nem no Xubuntu.
      Não disse nada sobre acessibilidade, falei de produtividade. Produtividade não tem nada a ver com o peso do sistema, e em nenhum momento citei o HUD, cada sistema tem que achar a sua maneira de ser produtivo, cada um escolhe um caminho, o problema do Xubuntu, na minha opinião, é que ele não está seguindo, nem trilhando, nenhum caminho que leve a produtividade.
      Usei o Xubuntu pela primeira vez mais ou menos pelas versões 9 ou 8 e a experiência foi exatamente a que tive nesta semana, o sistema não mudou praticamente nada. Conseguiu ficar um pouco mais leve, as versões anteriores não mereciam o título de sistema mais leve, pesavam tanto quanto o gnome 2.
      Uma coisa eu sempre vou defender, se o sistema é melhor para você, se é mais produtivo, use-o e defenda-o, mas para mim ele não consegue dar conta do recado. Respeito totalmente suas colocações e sua escolha.

  2. O Xubuntu (eu sempre pronunciei exubuntu) é um ambiente de trabalho que tem como filosofia principal atender a um hardware de menores recursos em termos de processamento e memória. Todos os seus aplicativos são voltados para que determinada tarefa possa ser realizada em um hardware com recursos limitados mas com eficiência. Por isso todos eles são disprovidos de recursos que existem em outros desktops environment. Outro ponto da filosofia desses ambientes leves, como o XFCE, LXDE ou OpenBox, é trazer o básico para as atividades diárias de um usuário comum sem entulhar o ambiente com aplicações que provavelmente ele nunca viria a usar. Ele não vem com uma suíte office como o LibreOffice porque a mesma seria muito pesada no hardware que ele pretende atender. O Abiword e Gnumeric fazem parte da suíte de escritório do GNOME (há outros aplicativos e a lista completa veja em http://goo.gl/tJoL9) e atendem bem para o que foram especificados e são levíssimos.
    Quanto à produtividade que você tanto deseja, ela é conseguida configurando teclas de atalhos para os aplicativos que você mais utiliza. Com isso nem mesmo o Unity consegue ser mais rápido. Agora, se desejar algo ao estilo do Unity sem fazer do sistema uma carroça basta instalar o DMENU (http://tools.suckless.org/dmenu/), que é um menu dinâmico projetado para o X para lançar qualquer aplicativo existente no sistema.
    Infelizmente você é um fanboy do Ubuntu e toda a análise é um comparativo com o mesmo. Se não for da maneira Ubuntu de ser não atende o nível que você deseja. Se o comparativo fosse em mensurar o que cada distribuição atende no nicho para o qual ela é voltada você poderia ver que talvez o Ubuntu deixe a desejar no que ele se compromete.
    Quanto às mensagens rotineiras de erros que surgem, pode ter certeza que isso é coisa do próprio Ubuntu e não é nativo do XFCE. Esses avisos de erros parecem que foram importados do Windows pelo pessoal da Canonical e tem sido objeto de muita reclamação por parte de muitos usuários em qualquer sabor do Ubuntu.

    • Lex,

      Eu comecei o vídeo falando que ele é realmente leve como se propõe. O Xubuntu, não estou falando XFCE, traz mais aplicativos do que o necessário para um usuário mais comum, traz aplicativos inclusive que a maioria dos usuários jamais vai usar.
      O Abiword dá conta do recado sem maiores problemas, mas o Gnumeric não atende nem a funções mais básicas, lembre que eu falo que eu praticamente só uso e edito planilhas mais simples, e mesmo assim ele não conseguiu dar conta.
      Como você mesmo fala neste comentário, para conseguir produtividade eu preciso instalar outras coisas ou configurar bastante o sistema. Porque isto já não vem configurado e instalado no sistema? Se viesse eu mudaria meu discurso.
      Eu não estou comparando todas os sabores com o Ubuntu, estou comparando entre eles, e o Xubuntu está uns bons anos atrazado. Se assistir os outros vídeos verá que mesmo eu citando problemas, disse que tanto o Gnome Shell Remix quanto o Kubuntu são recomendados para uso corporativo.
      Ainda não fiz o review do Ubuntu 12.10, ele será o próximo e você verá que não falarei que ele é uma maravilha, também tem seus defeitos.
      Para finalizar, em momento algum eu me propus a analisar os nichos de cada sabor, me propus a testar no meu uso diário e então dar um veredicto e é isto que farei com todos os sabores do Ubuntu.

  3. Bruna Ferreira disse:

    Você disse que o menu do Xubuntu é ultrapassado _ (Não estou te criticando! É só curiosidade. Eu quero arrancar essa resposta de um especialista, de alguém ligado à Canonical) _ Houve e ainda há muitas críticas com relação ao Unity (não vou nem falar do Unity 2D). Como você acha que deveria ser uma interface (ou um interface, como diria um antigo professor) gráfica de um sistema operativo, baseado em Unix ou não? Qual é a sua sugestão para a disposição do menu? Isso não deveria ser configurável de acordo com a necessidade do usuário?
    Será que o mais importante não seria um kernel estável e uma linha de comando que seja capaz de configurar e desconfigurar toda a parte gráfica?
    Tem umas distros novas (nem tanto) que deixam a desejar, são “bonitinhas”, mas não funcionam nem de longe “corretamente”, elas não mereceriam um review?

    Obrigado!

    • Bruna,

      Para mim o Dash em conjunto com o Lançador do Unity estão mas próximos do ideal. Para mim o menu tem que se adaptar ao uso mais frequente de cada usuário. Acredito apenas que o Dash deveria ter duas linhas de aplicativos e não apenas uma. O menu do KDE também traz uma boa alternativa, apenas não estou muito habituado a usar ele, mas ele tem as mesmas opções.
      Quanto a outros reviews, eu tenho várias imagens já baixadas, mas falta tempo para fazer os testes, tem coisa que não posso me dar ao luxo de testar como estou fazendo com os sabores do Ubuntu, preciso dominar minimamente o sistema para não ter problemas durante a semana no trabalho.
      Na medida do possível irei fazer outros reviews, até de “concorrentes” do Ubuntu. Acredito que devemos conhecer o trabalho de outras comunidades também para saber se o que estamos usando realmente é o melhor ou se temos que estudar outras alternativas.

  4. angelico disse:

    Olá pessoal,

    Utilizei o Ubuntu até a versão 10.04 LTS que abandonei neste ano.
    Para substituí-lo eu experimentei várias distros.

    Acabei ficando com o Xubuntu 12.04 no notebook do escritório (latitude D510 – Celeron M) e o Lubuntu 12.04 no da oficina (eeepc 901 – Atom) e no da “rua” (thinkpad x100e – AMD Neo).

    Personalizei a interface de ambos os sistemas e instalei aplicativos para atender as minhas necessidades. A mudança foi considerável. Não tenho do que reclamar quanto à produtividade após a personalização, mas concordo com o Ivan que o sistema “puro” tem lá os seus problemas.

    Para conhecer melhor (e modificar) o Xubuntu, sugiro uma visita ao blog do Wilson Santos, xubuntugeek.blogspot.com.br.

    Saudações a todos.

  5. BalgkarRs_Leon disse:

    Ivan, aqui está um ponto a menos a ser relacionado entre os problemas.
    http://www.webupd8.org/2012/11/how-to-use-multiple-monitors-in-xubuntu.html

Deixe seu comentário

Website