Calendário de desenvolvimento do Ubuntu 14.04 LTS

Calendário Ubuntu 14.04 LTS

O Ubuntu 14.04 LTS ainda não tem nome definido, sabemos somente que irá iniciar pela letra “T”, mas seu cronograma de desenvolvimento já foi divulgado durante a UDS (Ubuntu Developer Summit), realizada online entre os dias 27 a 29 de Agosto de 2013.

O primeiro Alpha do Ubuntu 14.04 LTS estará disponível em 19 de Dezembro de 2013 e a versão final está prevista para 17 de Abril de 2014.

Abaixo segue a tabela com as datas, lembrando que a primeira coluna é a semana, a segunda é a data e a terceira o título do evento. Lembrando que as datas poderão sofrer alterações durante o ciclo de desenvolvimento.

Os freezes (congelamentos) ocorrem normalmente por volta de 21:00 UTC da data da tabela.

Week Date (Thursday) 14.04 LTS Events
October 2013
1 October 24th Info <!> Toolchain Uploaded
2 October 31st
November 2013
3 November 7th
4 November 14th
5 November 21st Warning /!\ FeatureDefinitionFreeze
6 November 28th
December 2013
7 December 5th
8 December 12th
9 December 19th Alpha 1 (for opt-in flavors)
10 December 26th
January 2014
11 January 2nd
12 January 9th
13 January 16th
14 January 23th Alpha 2 (for opt-in flavors)
15 January 30th
February 2014
16 February 6th Warning /!\ Debian Import Freeze
17 February 13th
18 February 20th Beta 1 Freeze (for opt-in flavors), Warning /!\ FeatureFreeze
19 February 27th Beta 1 (for opt-in flavors)
March 2014
20 March 6th
21 March 13th Warning /!\ UserInterfaceFreeze
22 March 20th Warning /!\ Final Beta Freeze, Warning /!\ DocumentationStringFreeze
23 March 27th Warning /!\ Final Beta
April 2014
24 April 3rd Warning /!\ KernelFreeze, Warning /!\ NonLanguagePackTranslationDeadline
25 April 10th Warning /!\ FinalFreeze, Warning /!\ ReleaseCandidate, Warning /!\ LanguagePackTranslationDeadline
26 April 17th Warning /!\ FinalRelease, Ubuntu Ubuntu 14.04 LTS

Se você não entendeu a tabela, que está em inglês, as principais datas são:

  • Alpha 1 em 19 de dezembro de 2013
  • Alpha 2 em 23 de janeiro de 2014
  • Beta 1 em 27 de fevereiro de 2014
  • Beta final em 27 de março de 2014
  • Versão final em 17 de abril de 2014

 

Ubuntu Touch terá apresentação de boas vindas

Algo essencial para quem está conhecendo um novo sistema operacional de um Celular, já que o manual não é lido, é uma boa apresentação de boas vindas na primeira vez que o sistema é iniciado.

Até então o Ubuntu Touch não tinha isto, mas existiam discussões. Agora esta importante funcionalidade está disponível e pode ser visto neste vídeo do Alam Pope.

Assistir no Youtube

Resolvendo problema com driver 310 da Nvidia

Nvidia logo

Artigo enviado por Wagner (Gplus, Facebook e twitter)

Ao efetuar uma atualização do sistema, houve um problema com o driver 310 da NVIDIA(VGA GeForce GT 220) no qual estava usando no kernel anterior ao que foi atualizado. Ao ligar o PC o Ubuntu 12.04.2 LTS não iniciava o seu ambiente desktop. Não houve kernel panic mas o X não subiu depois desta atualização. Executei o seguinte procedimento para remontar a raiz do sistema em modo de leitura e escrita, no modo de recuperação e para minha felicidade funcionou e pude então remover o driver bugado e instalar o mais novo que foi disponibilizado nos repositórios do Ubuntu 12.04.2 LTS, o driver 319.32 da NVIDIA para Linux.

Antes de tudo carreguei o GRUB pressionando a tecla SHIFT na inicialização do computador e depois optei por carregar o kernel em modo de recuperação que fica logo abaixo da opção padrão. Ao carregar o menu no modo de recuperação, optei por carregar o “root” para me logar como usuário administrador do sistema. Ao logar com o usuário root, a raiz (/) a qual estava no momento fica “somente leitura”, portanto nesse caso tive que remontar a raiz em modo de leitura e escrita para poder remover o driver e instalar o driver mais atual conforme comando abaixo:

mount -o remount,rw /

Agora com o acesso em leitura e escrita consegui remover o driver bugado desta forma:

apt-get purge nvidia-310 -y
apt-get install nvidia-319-updates

Depois de instalado o driver reiniciei o sistema:

init 6

O sistema voltou ao normal mas percebi um problema com o “framebuffer” do kernel que depois vou procurar como resolver isso. No mais foi essa a solução que apliquei no meu desktop e com êxito.

Um forte abraço e até mais. ;)

Videocast #42 – Primeiros passos no Ubuntu – Vídeo 6

Algo que leio bastante por fórums e listas é a dificuldade em se compartilhar pastas na rede utilizando o Ubuntu, o que realmente não consigo entender. Para facilitar a vida de todos, este vídeo mostra a maneira simples de se acessar e fazer compartilhamento. Não é necessário fazer configurações mirabolantes no samba, isso é coisa para compartilhamentos avançados e não para simples compartilhamentos.

Assistir no Youtube

Viu como é fácil e não precisa nem abrir o terminal?

Opencast #26 – Arte em 3D com Blender

opencast 26

Após mais uma pequena pausa, voltamos com mais um episódio do Opencast e neste episódio eu(Ivan), Aprígio Simões, Diego, Og Maciel e o convidado e especialista em Blender Razgriz falamos sobre esta fantástica ferramenta para criação e animação em 3D chamada Blender.

Links do episódio

Se você preferir, pode assistir ao vídeo da gravação do Opencast. O vídeo está quase sem edição da conversa, apenas retirada a parte inicial onde não falamos nada de importante. É até interessante para compararem como fica o trabalho pós edição.

Assistir no Youtube

Vídeo do SVG ao 3D – Logo do Ubuntero

Assistir no Youtube

Twitter: @tecnologiaabert

Facebook: http://www.facebook.com/tecnologiaaberta

Google+: Tecnologia Aberta

Youtube: Tecnologia Aberta

E-Mail: opencast@tecnologiaaberta.com.br

Feed do Opencast: http://tecnologiaaberta.com.br/feed/opencast/

iTunes: http://itunes.apple.com/br/podcast/id424732898

Todas as músicas de fundo na versão mp3 e a música de abertura da versão em vídeo são do Josh Woodward

Seminário de Tecnologia em Software Livre Tchelinux Caxias do Sul 2013

tchelinux-caxias-do-sul

O grupo Tchelinux, em parceria com a FTEC Caxias do Sul, tem o prazer de convidar a comunidade, independente do nível de conhecimento e experiência com a tecnologia, software livre e áreas afins, para participarem do Seminário de Tecnologia em Software Livre Tchelinux Caxias do Sul 2013.

Inscrições

Com o objetivo de estimular a caridade e a boa vontade, o Tchelinux tradicionalmente não cobra um valor monetário para admissão em seus eventos, mas sim pede que cada participante doe 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal), que serão recolhidos no ato do credenciamento e doados a uma instituição local a ser definida. Ainda assim, para efeito de contabilização e preparação das salas, e dado o número limitado de vagas, pedimos que garanta sua participação fazendo o seu cadastro.

Como se inscrever

As inscrições podem ser realizadas aqui . Não esqueça de levar 2 kg de alimentos não perecíveis no dia do evento.

Você pode pegar mais informações, incluindo mapa do local, palestras e palestrantes no site do grupo.

Área de Trabalho mostrando arquivos da pasta pessoal

Ainda não encontrei o que gerou o problema, mas eu estava com minha área de trabalho mostrando os arquivos e pastas da pastas pessoal. Isto aconteceu após voltar o Ubuntu da versão 13.10 para a 13.04 mantendo a mesma partição home que também havia sido utilizada pelo Elementary OS(não estou dizendo que a culpa é do Elementary OS).

Uma breve busca pelos arquivos de configuração do sistema e o problema foi resolvido. O arquivo de configuração onde são definidas as pastas padrão do sistema estava sem a referência para a área de trabalho, estava apenas apontando para o home.

Como resolver? Abra o gerenciador de arquivos, segundo ícone do lançador se você não mudou ele de lugar.

nautilus-1

Agora pressione as teclas Ctrl+h para mostrar os arquivos e pastas ocultos e procure pela pasta .config e entrenela. Lá procure pelo arquivo user-dirs.dir e abra-o.

nautilus-2 nautilus-3

O arquivo deve estar com a seguinte informação para estar correto:

# This file is written by xdg-user-dirs-update
# If you want to change or add directories, just edit the line you're
# interested in. All local changes will be retained on the next run
# Format is XDG_xxx_DIR="$HOME/yyy", where yyy is a shell-escaped
# homedir-relative path, or XDG_xxx_DIR="/yyy", where /yyy is an
# absolute path. No other format is supported.
# 
XDG_DESKTOP_DIR="$HOME/Área de Trabalho"
XDG_DOWNLOAD_DIR="$HOME/Downloads"
XDG_TEMPLATES_DIR="$HOME/Modelos"
XDG_PUBLICSHARE_DIR="$HOME/Público"
XDG_DOCUMENTS_DIR="$HOME/Documentos"
XDG_MUSIC_DIR="$HOME/Música"
XDG_PICTURES_DIR="$HOME/Imagens"
XDG_VIDEOS_DIR="$HOME/Vídeos"

Caso não esteja, você pode alterar os caminhos, lembrando que o “$HOME/” deve estar presente em todas as linhas.

Para valer a nova configuração, é necessário reiniciar a sessão ou o computador.

Novidades sobre o trojan para Linux

Podem ficar mais tranquilos, a história do trojan, que você pode ver neste vídeo, é mais uma história super-valorizada pela mídia. Agora com detalhes sobre o processo de instalação do trojan “Hand of Thief” estou bem tranquilo.

Como ser infectado?

Simples, acredite em um email qualquer. Entre no site e faça o download do arquivo que ele pedir para você fazer isso. Instale manualmente o trojan, inclusive usando sua permissão de super-usuário. Pronto, você é um feliz usuário de um trojan.

Ok, existem outra maneiras de se instalar, mas todas passam por intervenção manual parecida. É importante que você não adicione repositórios PPA’s a exmo, apenas PPA’s de confiança. Não instale pacotes não assinados ou pacotes de locais que você não conhece. Os repositórios oficiais do Ubuntu recebem verificação do código das aplicações que lá estão, menos o repositório resctricted que não tem software livre, e pacotes “infectados” com trojans ou vírus não passam pela seleção dos responsáveis.

Como tantas outras vezes, fizeram alarde sobre “mais do mesmo”. Usando o bom senso, você não será infectado por malwares.

Firefox continuará sendo o navegador padrão no Ubuntu 13.10

chromiumvsfirefox

Ouviram minhas preces e o navegador padrão do Ubuntu 13.10 continuará sendo o Firefox. Sei que o o Chromium e principalmente o Chrome tem vários fãs, mas muitos destes fãs não sabem que os processos do Chrome e Chromium se dividem em vários outros e simplesmente devoram a memória do computador. Não estou com ele instalado agora para provar, mas em medições anteriores o Chome estava usando nada menos que 3 vezes mais memória que o Firefox com as mesmas abas abertas.

A decisão foi tomada com base no padrão de atualizações do Chromium que costuma gerar alguns problemas(utilizo navegadores no ambiente corporativo e digo que geram muitos problemas), mas a discussão continua para o Ubuntu 14.04 onde continua existindo a possibilidade do Chromium ser o navegador padrão da versão LTS.