Videocast #55 – GNU or not GNU, eis a questão

Categoria: Ubuntu, VídeoCast | Palavras-chave: , , ,

videocast 55 - gnu or not gnu

Vídeocast no ar e neste episódio falo um pouco sobre o por que algumas distribuições se chamam GNU/Linux e outras apenas Linux.

Assistir no Youtube

Links

 

Publicado em 17 de Março de 2014 | 14 Comentários

Ivan Brasil Fuzzer

Ivan Brasil Fuzzer

Faço parte do grupo Tchelinux(http://www.tchelinux.org). O Tchelinux é um grupo de voluntários que trabalha com software livre e ainda acredita que boas coisas podem ser feitas nesta comunidade; desde que saibamos repassar aos que estão iniciando que Software Livre é um aprender e repassar o conhecimento incessante. Sou líder do Ubuntu-BR-RS juntamente com a Marta Vuelma. Tentamos divulgar a distribuição e auxiliar novos usuários por todo o estado do Rio Grande do Sul, as vezes em outros estados também. Sou um amante incondicional de software livre. Vivo apaixonado pelo Ubuntu.

Mais posts do autor (856)

14 Comentários

  1. Antonio Carlos disse:

    Respeitosamente, acho uma grande besteira essa “diferença”. Para mim é mais uma questão de ego entre os envolvidos. Temos coisas mais importantes pra fazer do que perder tempo com essa titica toda!

  2. bruno disse:

    correções:
    1- o termo GNU/Linux não é criação da FSF, ele foi apenas proposto pelo RMS, após receber vaias do antigo termo LiGNUx, para Ian Murdock (ele mesmo) adotar o termo no Debian, a partir daí o RMS se convenceu que o termo era mais adequado e fez a FSF adotá-lo.
    2- kernel != de sistema operacional. Um sistema operacional apenas com kernel não é utilizável, a não ser que vc faça uma mágica. Pelo menos um shell e uma libc são necessárias para definir o sistema operacional, o shell tornará o sistema utilizável, e a libc tornará qualquer programa compilável (com qualquer compilador seja gcc, clang ou pcc) nesse sistema operacional. A libc + kernel são encarregados para definir qual é o sistema operacional, por exemplo, se o kernel (ou qualquer outro programa) for compilado usando a glibc então ele vai ser compilado em termos do projeto GNU, por isso o termo GNU/Linux é mais correto por fazer juz ao componente que define qual SO é usado pelos seus programas e que define qual plataforma (kernel Linux) é usado.

    • Seguindo esta lógica, um automóvel deixa de ser automóvel no momento em que eu retiro as rodas dele?!

      O fato de ser usável não faz com que algo seja ou deixe de ser o que ele é, e como foi dito, GNU/Linux não é o mais correto, o mais correto será sempre o que o criador definir e no caso é Linux.

      Mesmo assim, se você se sente mais confortável em chamar GNU/Linux, vai em frente, o criador disse que não importa para ele.

      • bruno disse:

        Seguindo a SUA lógica, o certo não é FreeBSD e sim NADA, já que o kernel do FreeBSD não tem nome específico, há os que chamam de kFreeBSD então vou chamar o FreeBSD e todos os BSD com um k na frente já que o que importa é o kernel.
        Vou chamar também o Windows de ntkrnl que é o nome dado ao kernel dele, o do Solaris de kIllumos e o do Mac OS X de XNU. E o próprio GNU vou chamar de Hurd agora.
        E a sua analogia do carro é falsa já que o coração do carro é o motor e não as rodas. Sem motor o carro deixa de ser um carro e vira apenas um pedaço de lata com formato.

    • Vinícius disse:

      O Carro deixa de ser automóvel se retirar a roda.
      O GNU Linux deixa de ser GNU Linux se não utilizar qualquer licença GNU e não fizer parte projeto GNU.

  3. Guilherme F. Silva disse:

    fala Ivan…então como voce é dos caras mais dedicados e antenado sobre o que é Ubuntu…tava dando uma navegada no site do Ubuntu…vi e li algo sobre JuJu…sabe o que se trata? poderia dar uma pincelada sobre o tema?…valeu muito obrigado !!!!

  4. Wesley Dias Tamagi disse:

    Os defensores ou seguidores dos dogmas da FSF exageram querem o nome Linux, mas sempre visaram o kHurd e agora estão começando a dizer que o Linux não seria Free Software e por isso criaram o Linux-libre nada mais nada menos que um fork do Linux lamentavél como o fanatismo acaba com coisas boas.

    • bruno disse:

      kHurd? ahn?
      Linux-libre não é um kernel, é um script de remoção de blobs do Linux, o que o pessoal faz é criar pacotes do Linux sem esses blobs e dão o nome de Linux-libre, aliás eles não são livres pra fazerem isso? também acho que deviam unir esforços pra criar firmwares livres que substituam os proprietários atuais do kernel upstream…

Deixe seu comentário

Website